Ex-reitor critica indicadores; UNE aplaude

Ex-reitor da Universidade de São Paulo e dono da Lobo & Associados ? uma consultoria especializada em ensino superior ?, Roberto Leal Lobo acredita que o fim do Provão será uma perda para o ensino superior brasileiro. ?Mesmo que o Provão merecesse aperfeiçoamento, é uma pena perder a série histórica dos dados que ele fornecia e a crescente credibilidade dos resultados que vinham ajudando a melhorar a qualidade das faculdades.?Para Lobo, o Sinaes é positivo quando valoriza a avaliação institucional e busca uma visão integrada da universidade. Mas apresenta problemas ao englobar muitos indicadores e julgamentos de caráter subjetivo. ?Isso poderá dificultar a aplicação e a compreensão dos resultados pela sociedade?, afirma. ?E também poderá priorizar ações a apoios políticos em detrimento da qualidade acadêmica.?UNEA UNE já queimou caixão para enterrar o Provão, já deu nota zero para o ex-ministro da Educação, Paulo Renato Souza, já organizou passeatas e mais passeatas pelo fim do exame. Agora, comemora o novo sistema de avaliação, mas avisa: se a prova aplicada aos estudantes tiver mais peso do que os demais itens avaliados ou se a presença continuar sendo obrigatória e vinculada ao diploma, os boicotes podem voltar.O presidente da organização, Gustavo Petta, garante que a intenção é deixá-los de lado e até ajudar o MEC a convocar os universitários. ?Agora tudo depende de como o exame vai ficar. Não concordamos, por exemplo, com a obrigatoriedade. Se o aluno confiar na avaliação, ele fará a prova.? leia também Novo Provão estréia em novembro, com sorteio de alunos Curso e instituição também serão avaliados Universidades ?nota E? respiram aliviadas Para idealizador do Provão, universidades ruins venceram

Agencia Estado,

19 de março de 2004 | 17h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.