Ex-pró-reitor de Pesquisa é o primeiro de lista tríplice da USP

Hélio Nogueira da Cruz e Wanderley Messias da Costa compõem a lista tríplice que será encaminhada para o governador

Bárbara Ferreira Santos, Marina Azaredo, Paulo Saldaña e Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

19 Dezembro 2013 | 22h13

Atualizado às 0h40, 20 de dezembro.

O ex-pró-reitor de Pesquisa da Universidade de São Paulo (USP) Marco Antonio Zago ficou em primeiro na votação que definiu a lista tríplice de candidatos a reitor da instituição. O ex-vice-reitor Hélio Nogueira da Cruz e o ex-superintendente de Relações Institucionais Wanderley Messias da Costa também compõem a lista, que será enviada hoje ao governador Geraldo Alckmin (PSDB). É o governador quem nomeia o reitor.  

O resultado desta quinta-feira, 19, confirma as expectativas pré-eleitorais, inclusive da consulta preliminar à comunidade, que apontavam Zago como favorito. Ele teve 1.206 votos, o que representa 49% do total. Com desempenhos próximos, Cruz recebeu 498 (20%) e Costa 462 (19%) votos. O ex-diretor da Poli José Roberto Cardoso, ficou fora da lista, com 278 votos (11, 37%). Ele já havia indicado apoio a Zago.  

Tradicionalmente, o primeiro colocado é escolhido, mas na eleição passada, em 2009, o então governador José Serra nomeou o segundo, João Grandino Rodas. Não há prazo para o governador decidir e o mandato de Rodas vai até 25 de janeiro.   Na topo da lista, Zago comemorou. “Mostra uma clara manifestação da USP e reflete certa expectativa de tranquilização da unidade, contrário às tensões e interferências dos últimos tempos”, diz. Mesmo com o apoio da maioria, o candidato defendeu ser legítimo que o governador escolha qualquer nome da lista. “Ele olha com seu olhar político, de representante eleito. Se a votação vai influenciá-lo, eu não sei.”  

 Hélio Cruz também ressaltou a legitimidade de o governador escolher. “A eleição aponta a visão da universidade e a bola está com o governador. Todos disseram que aceitariam a escolha dele, que é o representante da população, que financia a universidade”, diz. “No ambiente político, a figura do governador é sujeita a pressões dos segmentos da sociedade. E ele ouve e chega a suas conclusões”, afirma ele sobre a interlocução dos candidatos a partir de agora.  

Já na opinião de Wanderley Costa, o resultado não surpreendeu. “Considero que estou empatado com o Hélio. A diferença de votos foi muito pequena”, afirma. De acordo com ele, as votações mostram que a USP está dividida entre os que apoiam Zago e Cardoso e os que apoiam Costa e Cruz. “Nossa chapa tem ideias mais parecidas com a do Hélio”, afirmou.

Procurado, Cardoso não foi encontrado pela reportagem.   Só não votaram 14,6% das cerca de 2,1 mil pessoas que compõem a assembleia eleitoral, com maioria de professores.

Na noite de ontem, alunos fizeram um protesto na Cidade Universitária. O motivo do era os problemas ambientais da USP Leste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.