SERGIO CASTRO/ESTADÃO
SERGIO CASTRO/ESTADÃO

'Estudo, mas sem exagerar', diz candidato a uma vaga na USP

Pedro Sant'Anna prestará a Fuvest de olho em uma vaga no curso de Direito

Pedro Sant'Anna, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2016 | 04h00

“Prestar Fuvest sempre foi algo certo. E, há dois anos, quando decidi que iria estudar Direito, o Largo de São Francisco virou meta. No ano passado, prestei como treineiro tanto para conhecer o exame como para sentir o clima de fazer um exame em um ambiente fora do habitual. Como estudo no Mobile desde o ensino infantil, foi importante para eu ver como é fazer prova em um lugar menos favorável, com mesas menores e sem ar-condicionado. 

Durante este ano, fiz seis simulados com as provas anteriores. Tenho tentado aumentar meu número de acertos para passar com uma margem boa para a segunda fase. Em um curso como Direito, você não pode ficar satisfeito só com a nota de corte. Montei um plano de estudos e tento fazer um calendário semanal com as disciplinas para estudar. Monto em uma folha de sulfite e vou marcando meu progresso. Sem organização seria muito fácil me perder e ficar desmotivado. 

Nessa programação, no entanto, eu tomo o cuidado de não me sobrecarregar: tento deixar as sextas-feiras e os fins de semana para as atividades culturais, que indiretamente ajudam na prova, como os filmes indicados pelos professores e os livros que estão na lista do vestibular.” / DEPOIMENTO A OCIMARA BALMANT, ESPECIAL PARA O ESTADO

Mais conteúdo sobre:
Fuvest Direito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.