Estudo diz que autoritarismo prejudica desempenho escolar

O autoritarismo paterno e um controle estrito sobre os filhos pode afetar negativamente o desempenho escolar e o bem-estar das crianças e adolescentes, segundo um estudo da Universidade suíça de Lausanne, divulgado nesta terça-feira. Até agora, acreditava-se que a permissividade paterna seria responsável por comportamentos agressivos e dificuldades de aprendizado nos menores.Contudo, a pesquisa realizada pelo professor Alain Clémence e sua equipe da Faculdade de Ciências Sociais e Pedagógicas sustenta que um ambiente familiar autoritário pode ter conseqüências negativas sobre a auto-estima e o desempenho acadêmico dos pequenos. Para este estudo, os especialistas examinaram 500 crianças suíças entre 12 e 15 anos, assim como 26 professores e os pais de cem alunos. Segundo os pesquisadores, a participação dos filhos nas decisões domésticas contribui para reforçar tanto a confiança das crianças em si mesmas quanto sua integração e desempenho escolar, independentemente da estrutura familiar da casa e do nível social dos pais. Devido aos maus resultados quando a autoridade é exercida de maneira unilateral e os pais controlam estritamente seus filhos, os especialistas recomendam uma atitude aberta e o diálogo com os pequenos, ainda que, como eles mesmo reconhecem, isso nem sempre seja fácil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.