Estudantes vão eleger Parlamento Juvenil do Mercosul

Em agosto, serão eleitos os 27 jovens que representarão o Brasil nos próximos dois anos

Estadão.edu, com informações do MEC,

10 Julho 2012 | 10h23

Três estudantes do ensino médio de cada unidade da Federação vão se reunir em Brasília, de 1º a 3 de agosto, para escolher, por votação, os 27 jovens que representarão o Brasil no Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) nos próximos dois anos. Esse foi o principal assunto do encontro do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, com os atuais integrantes do parlamento, na manhã de segunda-feira, 9.

“Esse projeto visa à formação política e cidadã do jovem. É um projeto que transforma a vida do jovem, que vai sair daqui politizado”, comentou Adão Randerson Barros Lima, 19 anos, estudante do Maranhão. A criação de creches, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e a greve na rede federal foram outros temas discutidos com o ministro.

O projeto do Parlamento Juvenil do Mercosul, criado em 2010 pelo setor educacional do Mercosul, tem o apoio do MEC e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Além do Brasil, estudantes da Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia e Colômbia participam do Parlamento Juvenil do Mercosul. “É muito difícil conciliar os pilares no ensino médio: formar cidadãos, ter um ensino de qualidade para levar ao ensino superior e também para o mercado de trabalho”, comentou Cassiano Santana, 17 anos, que representa o estado de Sergipe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.