DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Estudantes protestam em SP contra reforma do ensino médio

Manifestantes foram até o diretório estadual do PMDB; Medida Provisória foi editada por Temer na semana passada

Fabio Leite, O Estado de S. Paulo

26 Setembro 2016 | 18h50
Atualizado 26 Setembro 2016 | 21h06

SÃO PAULO - Cerca de 300 estudantes fizeram um protesto na noite desta segunda-feira, 26, pelas ruas de São Paulo, contra a reforma do ensino médio, anunciada na semana passada pelo governo Michel Temer. As mudanças foram feitas por meio de Medida Provisória.  O ato, que foi pacífico, teve início na Avenida Paulista e foi encerrado na Praça do Obelisco, no Ibirapuera. 

Os manifestantes se concentraram no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) no final da tarde desta segunda e ficaram cercados no local pela Polícia Militar até que o itinerário da manifestação fosse informado aos agentes.  Às 18h40, os estudantes fecharam a Avenida Paulista no sentido Paraíso.

O protesto seguiu pela Avenida Brigadeiro Luís Antônio e os estudantes caminharam até a sede do diretório estadual do PMDB, na Avenida Padre Manoel da Nóbrega, na região do Ibirapuera, zona sul de São Paulo, que estava sob proteção da Polícia Militar. 

Durante o protesto, os alunos carregaram faixas e cartazes e pronunciaram frases como "Não tem reforma, vai ter luta", "Fora, Temer" e "Ai, ai, ai, se empurrar a reforma cai". Sobre o trecho polêmico em relação às disciplinas de Artes e Educação Física no ensino médio, os estudantes disseram que a reforma "tira nosso pensamento crítico, precarizando o ensino público e formando mão-de-obra barata". 

Por volta das 20h50, o grupo subiu no Monumento à Bandeira, na Praça do Obelisco no Ibirapuera. No local, onde o ato foi encerrado, gritaram "se a Medida Provisória passar, a luta não vai cessar". Parte dos estudantes pediu a volta das ocupações nas escolas estaduais de São Paulo - movimento realizado no fim de 2015 que culminou na suspensão da proposta de reorganização da rede pelo governo Geraldo Alckmin (PSDB). 

Os estudantes marcaram novo ato para a próxima sexta-feira, 30, às 17 horas, na Praça da Sé, região central de São Paulo. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.