Estudantes põem Engenharia a serviço da comunidade

De um lado, estudantes procuram idéias para seus projetos de conclusão de curso; de outro, comunidades, prefeituras e organizações não-governamentais procuram soluções práticas e baratas para problemas de infraestrutura e engenharia. O ponto de encontro destas duas necessidades pode estar no projeto Poli Cidadã, da Escola Politécnica da USP. Professores e alunos de Engenharia estão prontos para receber mais sugestões e pedidos para 2004.Lançado no segundo semestre de 2003, o Poli Cidadã já atraiu 12 propostas. Numa delas, um prefeito paulista pede que os estudantes desenvolvam um regulador de temperatura para chuveiro que fique ao alcance de idosos e pessoas com dificuldade ou deficiência física. ?Estas pessoas não alcançam o chuveiro, e o prefeito nos procurou porque sua cidade tem muitos idosos que passam o dia sozinhos em casa?, conta Alberto Hernandez Neto, professor do Departamento de Engenharia Mecânica e um dos coordenadores do Poli Cidadã.O desafio dos estudantes, conta Hernandez, é fazer o regulador ?fria-morna-quente? num dispositivo que fique tão acessível quanto o registro de abrir e fechar o chuveiro. E o principal: tem de ser barato. ?Existe um equipamento no mercado, mas custa mais de R$ 200?, observa o professor.Esperando idéiasOutra proposta pede para desenvolver máquinas de fabricação de vassouras com fibras de garrafas PET, e o Hospital Universitário da USP entrou na lista desafiando os alunos a desenvolver macas e cadeiras de rodas mais adequadas aos pacientes.As propostas e pedidos de projetos de engenharia têm de ser apresentados no site do Poli Cidadã (www.poli.usp.br/policidada). As comunidades, ONGs e prefeituras não precisam formular pré-projetos. Basta, em muitos casos, sugerir temas ou apresentar seus problemas concretos.As idéias ficam à disposição dos alunos e professores, que podem escolher entre elas de acordo com sua área de estudos.Responsabilidade socialNão há garantia de que todas as propostas serão encampadas, porque pode não haver estudantes em número suficiente ou com qualificação indicada para determinados projetos. ?Mas queremos que o site fique repleto de idéias e sugestões?, afirma o coordenador.O projeto Poli Cidadã, segundo Hernandez, foi desenvolvido para dar aos estudantes da Poli uma experiência concreta de trabalho junto à comunidade. "Percebemos que isso aumento o senso de responsabilidade social dos alunos e seu compromisso com a sociedade", analisa o professor.O projeto também é uma iniciativa para aproximar a universidade da comunidade.

Agencia Estado,

03 de março de 2004 | 17h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.