Estudantes ocupam reitoria da Federal do Paraná

A administração da universidade afirmou que só retomará as negociações após a desocupação do prédio

Estadão.edu,

04 Julho 2012 | 14h58

Na noite da última terça-feira, 3, um grupo de estudantes da Universidade Federal do Paraná (UFPR) ocupou a reitoria da instituição, após a decisão ter sido tomada em assembleia. Os universitários estão em greve desde maio em apoio aos professores federais.

Durante a ocupação, os servidores foram impedidos de entrar no prédio e alguns departamentos que funcionam no local tiveram os serviços paralisados. Maria Amélia Sabbag Zainko, pró-reitora de Graduação, acredita que a ação dos alunos foi impensada e desnecessária. "Os estudantes tomaram um atitude unilateral de rompimento do diálogo e da negociação que já existiam", diz. Segundo a pró-reitora, a ação lhe parece um ato político-partidário que desmerece a luta por uma universidade pública de qualidade. "Estamos juntos nessa luta e justamente por esta razão, não entendo o porquê dessa ocupação", afirma.

A administração da universidade afirmou que só retomará as negociações após a desocupação do prédio. Em nossa, a assessoria da instituição declarou que "a comissão espera que a desocupação do prédio ocorra em breve e que os alunos usem o bom senso para não danificar o patrimônio público". Apesar da indignação, a UFPR não irá tomar nenhuma medida de confronto com os estudantes.

A ocupação não conta com o apoio do Diretório Central dos Estudantes (DCE). "O movimento dos estudantes tem sido precipitado: foi assim quando aderiu à greve e agora também nesta ocupação", diz Murilo Cereda da Silva, coordenador do órgão. "Havia uma negociação com a reitoria em andamento, mas, aparentemente, ideias políticos falaram mais alto".

Procurado pelo Estadão.edu, o comando de greve da universidade não quis se pronunciar. Uma de suas porta-vozes afirmou que entrevistas à imprensa só serão dadas em coletivas.

Mais conteúdo sobre:
Paranágrevereitoria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.