Divulgação/UpesParaná
Divulgação/UpesParaná

Estudantes ocupam 600 colégios no Paraná e governo decreta recesso

As ocupações, segundo os estudantes, são uma forma de pressionar o governo a pedir a retirada da Medida Provisória que reforma o ensino médio e da PEC 241

Julio Cesar Lima, Especial para O Estado

17 de outubro de 2016 | 22h31

CURITIBA  - Os colégios do Paraná que estão ocupados devem permanecer em recesso escolar até a sexta-feira, 21. A decisão foi tomada em reunião extraordinária no domingo convocada pelo secretário da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB). No Estado já são 600 colégios, oito universidades e dois núcleos regionais de ensino tomados, segundo informações do Movimento Ocupa Paraná. A Secretaria de Estado da Educação (SEED) calcula 570 locais.

As ocupações, segundo os estudantes, são uma forma de pressionar o governo a pedir a retirada da Medida Provisória que reforma o ensino médio e da PEC 241.



O governo do Estado também decidiu enviar ofícios ao Ministério Público, Conselhos Tutelares e ao Poder Judiciário pedindo algum tipo de ação em relação aos menores de idade que têm participado do movimento. 

"A fim de evitar confrontos que poderiam ensejar riscos aos estudantes, o Estado do Paraná tem evitado o uso da força policial, razão pela qual entendemos mais adequada a ação preventiva dos Conselhos Tutelares e Ministério Público do Estadual, o que nos leva a requerer sua intervenção, no âmbito de suas competências legais", diz trecho de um ofício, assinado pelo procurador Paulo Sérgio Rosso, enviado aos Conselhos Tutelares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Fuvest 2020: Veja os locais de prova da primeira fase do vestibular
  • Redações da Fuvest: Estadão Acervo levantou o temas de cada redação do exame desde 1977
  • Medicina na USP tem disputa de 129 candidatos por vaga; veja relação
  • Conheça práticas ilegais comuns na matrícula e nas mensalidades de escolas e faculdades
  • Primeira fase da Fuvest: ouça as dicas dos especialistas no podcast ‘Se Liga no Vestibular

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.