Divulgação/UpesParaná
Divulgação/UpesParaná

Estudantes secundaristas ocupam 285 colégios no Paraná

Alunos prometem mais ocupações; ato é contra a reforma do ensino médio proposta pelo governo Temer

Julio Cesar Lima, Especial para O Estado

13 Outubro 2016 | 18h07

CURITIBA - Subiu para 285 o total de colégios ocupados pelos estudantes secundaristas no Paraná. O número foi divulgado pelo Movimento Ocupa Paraná no meio da tarde desta quinta-feira, 13. Os alunos prometem mais ocupações. "Para cada reintegração, duas escolas ocupadas", diz o movimento pelas redes social. Os estudantes protestam contra as medidas anunciadas pelo governo federal para a reforma do ensino e o congelamento de investimentos na Educação.

A Secretaria de Estado da Educação (SEED) informou, no final da tarde, que estão ocupadas 180 unidades, o equivalente a 180 mil alunos sem aulas. Com relação às reintegrações, a assessoria diz que os pedidos foram feitos à Procuradoria Geral do Estado (PGE), mas o processo deveria ser levado para cada comarca onde estão localizados os colégios. Quatro universidades também estão ocupadas.

Segundo o governo do Estado, a reforma do ensino médio será debatida com a rede. "Vamos debater amplamente, em especial com os nossos alunos, as alterações propostas pelo governo federal. No Paraná, todas as disciplinas oferecidas hoje serão mantidas", disse o governador Beto Richa.

Além da crise nos colégios, os professores do Estado aprovaram, em assembleia realizada no dia 12, uma greve geral da categoria e que deve se iniciar a partir da próxima segunda, 17.

 

 

Enem. O chefe da Casa Civil do Paraná, deputado Valdir Rossoni (PSDB), chegou a dizer durante transmissão ao vivo pelo Facebook que as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), previstas para o início de novembro, não aconteceriam por causa das ocupações e se a greve dos professores do Estado fosse levada adiante. Rossoni disse que a informação havia sido repassada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

O Inep, no entanto, por meio de nota, informou que as provas serão mantidas. "O Inep reafirma que o Enem será realizado no Paraná, nos dias 5 e 6 de novembro. Caso alguma escola onde será realizado o exame esteja ocupada nos dias das provas, o Inep tomará as medidas necessárias para garantir que nenhum inscrito no exame seja prejudicado", diz a nota.

"Após recebermos alerta dos técnicos do Inep de que a realização das provas corria risco, levamos essa preocupação ao chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e buscamos uma forma de garantir a realização das provas, previstas para os dias 5 e 6 de novembro. E a Secretaria precisa informar ao Inep a situação das escolas quinze dias antes dos exames", esclareceu a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres, após conversar com a presidente do Inep, Maria Inês Fini. 

 

Mais conteúdo sobre:
CURITIBA Paraná Educação Beto Richa

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.