Estudantes invadem plenário da Assembléia de SP

A votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) na Assembléia Legislativa de São Paulo terminou em violência e quebra-quebra, nesta terça-feira. Estudantes que acompanhavam a votação, pressionando os deputados a elevar os repasses do governo estadual às instituições de ensino superior, invadiram o plenário quando a lei foi aprovada sem atender sua reivindicação.Manifestantes que estavam na galeria pularam a amurada e quebraram cadeiras do plenário e lançaram objetos contra os deputados. A Polícia Militar havia feito um cordão de isolamento junto à amurada, já prevendo uma invasão, mas não foi suficiente.Alguns estudantes se feriram ao cair da borda da galeria. Entre os deputados, ninguém se feriu.PressãoDesde a semana passada, as sessões para votação da LDO vinham sendo tensas por causa da pressão dos estudantes e também docentes e servidores. Alunos da Faculdade de Tecnologia (Fatec) de São Paulo, em greve desde 3 de março, mantêm um acampamento diante da Assembléia desde o dia 27 de junho e vinham acompanhando todas as sessões da LDO.Além deles, grevistas da USP (alunos, docentes e servidores), da Unicamp (professores) e da Unesp (professores e funcionários) vinham pressionando os parlamentares. Os grevistas queriam que a LDO elevasse para 11,6% do ICMS o repasse às universidades - hoje em 9,57% - e para 2,1% o repasse às Fatecs - atualmente em torno de 0,5%.Na votação desta terça, depois de vários adiamentos, os deputados mantiveram os 9,75%.Invasão e pimentaO deputado Renato Simões (PT) disse que, durante o tumulto, um grupo de estudantes se refugiou na sala da liderança do Partido dos Trabalhadores. Simões afirmou que o local foi invadido por PMs.Ainda segundo o deputado, policiais militares lançaram gás pimenta no rosto de estudantes. Pelo menos 30 universitários foram detidos na Assembléia e liberados minutos depois.Simões informou que a Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa vai solicitar abertura de sindicância para apurar possíveis abusos policiais. O pedido deve ser encaminhado para a Ouvidoria da Polícia e também para a Procuradoria-Geral de Justiça.O deputado acrescentou que requisitou à TV Assembléia as fitas com imagens do confronto entre PMs e estudantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.