Estudantes desocupam reitoria da Unicamp

Os cerca de 200 estudantes das três universidades estaduais paulistas que invadiram a reitoria da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) na tarde de sexta-feira, deixaram o local neste sábado depois que a Justiça concedeu reintegração de posse. Na saída do prédio, os alunos foram fotografados por funcionários da Unicamp, que pretendem identificar os estudantes que participaram da invasão. Eles poderão ser punidos por indisciplina e destruição do patrimônio público, de acordo o prefeito do campus, Carlos Alberto Bandeira Guimarães.Segundo ele, os invasores quebraram cinco portas, janelas, um quadro com o retrato de um ex-reitor, vasos, picharam uma bandeira da universidade, entre outros estragos. "Alguns papéis foram atirados pela janela. Há bastante coisa quebrada", disse. Ele comentou que os prejuízos serão avaliados esta semana. O responsável pelo campus acredita que será possível "garantir condições mínimas" para o reitor voltar a despachar no gabinete na segunda-feira.Os estudantes contaram que invadiram a reitoria para exigir que as universidades cumpram reivindicações, como o aumento de verbas para as escolas públicas. Eles pediram ainda um audiência com o governador Geraldo Alckmin (PSDB). "Deveriam ter feito isso, democraticamente, no Palácio dos Bandeirantes", afirmou Guimarães. Segundo ele, a pauta de reivindicações é conhecida dos reitores. "As universidades têm canais democráticos para essa questão. Não atender faz parte do processo. O que eles fizeram foi um ato de barbárie, um absurdo que os desqualifica como interlocutores democráticos", disse.

Agencia Estado,

03 de julho de 2004 | 20h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.