DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Estudantes de Etecs começam o 2º semestre sem merenda

Governo estadual prometeu entrega de refeições em todas as unidades de tempo integral; agora, escolas avisam que a 'previsão' é servir pratos no fim do mês

O Estado de S.Paulo

03 Agosto 2016 | 13h24

SÃO PAULO - Alunos das escolas técnicas estaduais (Etecs) começaram o segundo semestre sem receber a merenda que havia sido prometida pelo governo estadual. Na primeira semana de aulas, os alunos receberam apenas um informe impresso nas unidades avisando que "a expectativa é de que as refeições, em sistema de bufê, comecem a ser servidas até o final de agosto".

A novidade do almoço nas Etecs foi anunciada em maio pelo governo estadual, após uma onda de protestos e ocupações das unidades. No dia 6 daquele mês, o Centro Paula Souza, responsável pelas unidades, disse que ofereceria refeições para 20 mil alunos de 65 escolas de período integral "a partir de agosto". Para isto os alunos precisariam abrir mão dos lanches que recebem no intervalo, a chamada merenda seca (composto por bolachas ou barra de cereal e suco). A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 3, pelo jornal Folha de São Paulo.

"Não recebemos a merenda por enquanto. Apenas a merenda seca, que é bolacha e um achocolatado", disse o estudante Marcos Calegari, de 17 anos, aluno do 3º ano do ensino médio da Escola Técnica de São Paulo (Etesp). No informe aos alunos, a Etec diz que o cardápio deverá ter diariamente "arroz e feijão ou massa, uma carne, legumes/verduras, salada ou fruta". 

Ainda de acordo com o comunicado, a licitação para contratar as empresas que farão a merenda para 53 unidades que oferecem ensino técnico integrado ao médio está em fase fase final. Em outras 12, o governo fez adaptações pare que os alunos passem a receber as refeições da Secretaria Estadual da Educação. 

Veja a nota do Centro Paula Souza

A Assessoria de Comunicação do Centro Paula Souza informa que, até o final de agosto, a instituição vai servir almoço para os alunos que estudam no Ensino Técnico Integrado ao Médio das Etecs e ainda não recebem o benefício. A distribuição das refeições para 53 unidades será feita em regime de bufê – não marmitex – e ficará a cargo de empresas terceirizadas. Como todo processo licitatório, o pregão para contratação desse serviço está sujeito a ritos e prazos previstos em lei, como o direito a recurso pelos concorrentes. Mas já se encontra em fase final. Outras 12 Etecs foram adaptadas para que a alimentação escolar seja preparada na própria escola, como já acontece em 144 unidades. A comunidade escolar está informada e ciente de todo o trâmite.

A distribuição da merenda seca, servida como lanche, será mantida. Importante esclarecer que, atualmente, todos os alunos das Etecs recebem algum tipo de alimentação.

Para atendimento aos estudantes que levam refeição de casa, as unidades disponibilizam equipamentos, como geladeiras, micro-ondas e marmiteiros. Muitas delas também têm cantinas em regime terceirizado, facultativo ao aluno. 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.