Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Estudantes convocam ato contra 'barbárie na Unifesp'

Alunos pedem 'união' entre 'reaças e revolucionários' para parar a Avenida Paulista

Estadão.edu,

15 Junho 2012 | 16h12

Alunos da Unifesp de Guarulhos convocaram uma manifestação para as 16h de segunda-feira, 18, na Avenida Paulista. O protesto será contra a ação da Polícia Militar que deteve 25 estudantes, ontem à noite, e os levou para a Superintendência da Polícia Federal. O ato também exigirá a renúncia do diretor acadêmico do câmpus, Marcos Cezar de Freitas.

 

A ideia dos universitários é "parar" a avenida. "Vão ter que olhar pra gente. Um ato de verdade contra essa barbárie que aconteceu e está acontecendo na Unifesp com os estudantes", afirma o convite para o evento, postado no blog do comando de greve.

 

Os estudantes dizem que não querem "desviar o foco". Para eles, não foi a PM, mas a Unifesp quem os "agrediu". Também pedem "união" entre "reaças, revolucionários, esquerda e direita" no protesto. "Tá na hora de criar vergonha na cara, rapaziada! Até quando será assim? Todos os alunos tomaram um tapa na cara, um mata leão, um tiro de borracha! Sem partidarismos, sem segregação!"

 

O comando de greve pede que os participantes levem cartolinas e tintas para a confecção de cartazes "que demonstrem os sonhos de cada estudante ao entrar na Unifesp". Também convocou os alunos, em determinado momento do protesto, a "ficarem calados em sinal a repressão" que afirmam estar sofrendo. "Afinal, nossos colegas foram detidos por gritar!"

 

Confira o cartaz do protesto:

 

Mais conteúdo sobre:
Unifesp Greve Polícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.