Felipe Trueba/EFE-02/12/2011
Felipe Trueba/EFE-02/12/2011

Estudantes chilenos são presos por protesto durante Teleton

Eles invadiram transmissão na TV com cartaz contra o lucro na educação; presidente foi outra vítima

Ansa

05 Dezembro 2011 | 12h54

SANTIAGO - Três estudantes chilenos foram presos na madrugada de domingo ao interromper a exibição do Teleton, campanha de TV que tem como objetivo arrecadar fundos para a assistência a deficientes físicos, exibindo cartazes que pediam o fim do lucro na educação.

Eles foram imediatamente retirados do local pelos agentes de segurança e presos por "desordem" por policiais que os encaminharam para a delegacia.

O episódio foi registrado enquanto a empresa distribuidora de combustíveis Copec realizava sua doação. Os cartazes traziam a mensagem "Rechaçamos o lucro na educação" e a transmissão de TV captou levemente o rumor gerado.

Outro cartaz dizia: "Que o Estado financie o Teleton e também a educação."

Em meio à manifestação, um jovem deficiente também levantou um cartaz a favor do movimento estudantil. Embora tenha sido retirado do local pelos agentes de segurança, ele não foi preso porque os organizadores alegaram que ele foi "usado" pelos estudantes.

A ação se somou a outra do início da maratona televisiva de 27 horas, quando o presidente do país, Sebastián Piñera, que fazia o discurso de inauguração do Teleton, foi interrompido por um casal de jovens que gritou: "O que o povo precisa é educação gratuita porque o povo está cansado das leis de mercado."

O Teleton é transmitido no Chile por cinco emissoras da TV aberta e este ano arrecadou US$ 43,4 milhões (cerca de R$ 77,6 milhões), superando a meta inicial de US$ 36 milhões (cerca de R$ 64 milhões).

Mais conteúdo sobre:
chilemovimento estudantil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.