Estudantes chilenos fazem barricadas em Santiago

Governo deve entregar resposta às reivindicações estudantis ainda nesta segunda-feira

Estadão.edu

01 Agosto 2011 | 16h26

Alunos do ensino médio chileno ergueram barricadas nos principais pontos da capital, Santiago, na manhã desta segunda-feira, 1.º, informa a agência de notícias Ansa. O governo deve entregar ainda hoje uma resposta às reivindicações dos estudantes, que pedem melhorias no ensino e no financiamento da educação.

 

A Alameda Bernardo O'Higgins foi bloqueada por cerca de 30 estudantes, o que provocou um congestionamento que se estendeu por vários quarteirões. O protesto foi dispersado pela polícia.

 

Barricadas também foram instaladas nas Avenidas San Diego e Santa Rosa, que cruzam a cidade de norte a sul. O mesmo ocorreu no bairro de Tobalaba, onde os manifestantes queimaram contêineres de lixo.

 

Segundo informa a Ansa, esta não é a primeira vez que os estudantes tomam este tipo de atitude. Na quarta-feira, um grupo montou barricada em frente à Universidade do Chile, que fica na principal avenida da capital, para reivindicar suas demandas. O protesto foi reprimido por policiais que utilizaram gases lacrimogêneos e jatos de água.

 

Desde meados de junho dezenas de milhares de pessoas, entre estudantes, professores e funcionários de instituições de ensino, se mobilizam em cidades chilenas pedindo uma educação estatal, gratuita e de qualidade. Há 12 dias, 34 estudantes menores de idade iniciaram uma greve de fome por tempo indeterminado.

 

O novo ministro da Educação, Felipe Bulnes, deve anunciar hoje a resposta do governo para as reivindicações estudantis.

Mais conteúdo sobre:
Chile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.