TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Estudante tenta entrar à força para fazer o Enem e desmaia em SP

Primeiro dia de prova do Enem teve tumulto em universidade na Barra Funda, em São Paulo; Estudante que forçou a grade foi parar no hospital

Paulo Saldaña, Caio Spechoto, O Estado de S. Paulo

24 Outubro 2015 | 21h09

Atualizado às 22h50

Ao menos 20 pessoas perderam o primeiro dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na Uninove da Barra Funda, zona oeste de São Paulo, e várias delas tentaram invadir o local pelo vão das grades. A investida dos candidatos causou grande confusão mas todos acabaram sendo retiradas por seguranças e pela Polícia Militar. Desesperada por ter ficado de fora, a estudante de Direito Hevellyn Nicolle da Silva Pedroza, de 20 anos, tentou forçar a entrada e, após a ação dos segurança, chegou a desmaiar. Em vez de prestar o exame, foi levada para a Santa Casa de Misericórdia, região central.

Hevellyn mora na Freguesia do Ó, zona norte da capital paulista. Saiu de casa às 11h30 para pegar o primeiro dos dois ônibus que a levariam até o local do exame. Desceu da segunda condução por volta de 12h40 e demorou alguns minutos para perceber que não estava no bloco certo da Uninove, mas já em cima do horário do fechamento dos portões, marcado para as 13h.

Já nervosa com a possibilidade de perder a prova, precisou da ajuda do motorista Ricardo Tadeu de Almeida, de 39 anos, para chegar ao local correto. “Estava voltando do trabalho para a casa e vi que ela estava passando mal. Ajudei a carregar a bolsa até o portão", disse o motorista. Depois de correr muito ao lado de outros candidatos na mesma situação, Hevellyn chegou ao local correto a tempo apenas de ver os portões sendo trancados. Visivelmente nervosa, foi acalmada por uma das pessoas que estavam nas proximidades.

Menos de dois minutos depois, alguns dos atrasados tentaram entrar pelo vão da grade. Hevellyn fez o mesmo e, no meio da confusão, até conseguiu passar, mas foi posta para fora pelos seguranças instantes depois. “Eu podia sair pelo portão, mas me empurraram pela grade”, reclama ela, que foi forçada contra as grades para sair. No final da confusão, a jovem só conseguiu caminhar até o meio-fio e caiu desmaiada. “Acho que minha pressão caiu.” Ela ficou deitada no chão, imóvel e sem conseguir falar por cerca de 40 minutos, até a chegada do Corpo de Bombeiros. Ainda em choque, foi levada para a Santa Casa.

 

O estudante João Primo Pereira Junior, de 27 anos, namorado de Hevellyn, só soube o que aconteceu porque viu um vídeo de de Hevellyn passando pela grade e sendo empurrada de volta para fora. “Se eu estivesse lá seria pior, eu iria para cima do segurança”, afirma o namorado da estudante. Segundo ele, existe a possibilidade de entrarem com uma ação na Justiça contra os responsáveis pela segurança. 

Já no ensino superior, Hevellyn faria o Enem em busca de uma bolsa integral no Programa Universidade Para Todos (ProUni). Em 2012, ela já havia tentado, mas como não pontuou o suficiente resolveu usar o Financiamento Estudantil (Fies). Atualmente está terminando o segundo período do curso de Direito na Universidade de Mogi das Cruzes, que tem câmpus em São Paulo. A estudante foi atendida na Santa Casa e, antes do horário de encerramento das provas do Enem, recebeu alta.

 


Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.