Jovem pernambucano é encontrado morto em universidade inglesa

Jovem pernambucano é encontrado morto em universidade inglesa

Ivson Luna Nunes, de 26 anos, fazia intercâmbio pelo Ciências Sem Fronteiras na Universidade de Lincoln desde julho de 2014

Isabela Palhares, O Estado de S. Paulo

20 Agosto 2015 | 11h24

Um estudante pernambucano foi encontrado morto no câmpus da Universidade de Lincoln, na Inglaterra. De acordo com a família, o corpo de Ivson Luna Nunes, de 26 anos, foi encontrado no domingo, 16, sem sinais de agressão. A provável causa da morte não foi informada à família. 

Nunes era de Gravatá, no interior de Pernambuco, e estudava Design na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no câmpus de Caruaru. O jovem fazia intercâmbio na universidade inglesa, desde de julho do ano passado pelo programa federal Ciência Sem Fronteiras. Ele retornaria ao Brasil em setembro.

A família do estudante iniciou uma campanha nas redes sociais para arrecadar dinheiro para o transporte do corpo para o Brasil. "Estou desesperada com a notícia, os órgãos competentes não querem se responsabilizar em trazer o corpo do meu filho para que eu possa me despedir dele", disse Isis Oliveira, mãe de Nunes, em uma postagem nas redes sociais.

Em nota, a UFPE lamentou a morte do estudante.  A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou que aguarda um posicionamento da polícia britânica e a formalização pelo Itamaraty para tomar as providências cabíveis a respeito da repatriação do corpo do estudante. 

Em nota, a Capes disse ainda que não divulgaria mais informações sobre o caso em respeito à família.

Já o Itamaraty informou que ficou sabendo da morte de Nunes pelo Consulado-Geral em Londres e que, desde então, tem mantido contato com a família do brasileiro e com as autoridades locais, no sentido de prestar toda a assistência consular devida. Informou ainda que não há previsão legal para custeio de traslado de corpo com recursos públicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.