Estatais vão participar de mais ações de educação

Estatais como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Eletrobrás e a Caixa Econômica Federal vão contribuir para desenvolver projetos ligados à educação. Os ministros José Dirceu (Casa Civil) e Tarso Genro (Educação) reuniram seus representantes no Palácio do Planalto, nesta terça-feira, para discutir o assunto.Segundo Tarso Genro, a estatais são estruturas "poderosas" e que podem ser melhor aproveitadas. No total, há mais de 200 ações desenvolvidas pelas empresas públicas, a maioria vinculada à educação. Algumas das ações são ligadas à formação técnica e profissional.Tarso Genro disse que o governo também aproveitará a infra-estrutura das estatais, que têm representações em todo o País.O ministro da Educação disse que o envolvimento das estatais é um exemplo de "criatividade político-administrativa" para contornar a falta de dinheiro para executar todas as ações necessárias na área. Segundo ele, o Orçamento da educação para o ano que vem não é "maravilhoso, mas é um bom Orçamento"."Houve um enorme esforço do presidente, da Fazenda e do Planejamento. Temos condições de dar um grande passo de qualidade na educação do Brasil, particularmente na educação básica."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.