ABMES
Jornalista Renata Cafardo (à esquerda) recebe o prêmio da Abmes  ABMES

'Estado' vence Prêmio ABMES de Jornalismo

A matéria, publicada em agosto de 2018, integrou série que discutia grandes temas que seriam desafios para o próximo presidente. A reportagem abordava a necessidade de melhora na qualidade do ensino por meio da valorização do magistério

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de agosto de 2019 | 22h41

SÃO PAULO - Uma reportagem do Estado escrita pela jornalista Renata Cafardo foi a vencedora da categoria Impresso Nacional do Prêmio ABMES de Jornalismo 2019, organizado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES). A matéria, que foi publicada em agosto de 2018 e integrou uma série que discutia a fundo grandes temas que seriam desafios para o próximo presidente, abordava a necessidade de melhora na qualidade do ensino por meio da valorização do magistério

O Prêmio ABMES de Jornalismo objetiva incentivar a produção de reportagens e matérias que abordem a educação superior no Brasil. "Isso porque a Associação acredita que o crescimento e o desenvolvimento da cobertura jornalística especializada contribuem para a busca de melhoria permanente do setor educacional, além do progresso do País", como descreve a organização. 

A cerimônia de premiação ocorreu na noite desta terça-feira, 6, em Brasília. A jornalista Renata Cafardo ressaltou a importância do assunto abordado pela reportagem, que foi produzida ao longo de dois meses. "Fui para a sala de aula, acompanhei o trabalho dos professores para ver a vida real e as dificuldades, entender como funciona", disse. "Acredito que para mudar a realidade da Educação no Brasil precisamos olhar para quem está na sala de aula e consegue realizar essa mudança com qualidade. Se não olharmos para o professor, não vamos para lugar algum", completou. 

A reportagem mostrou que, nos últimos anos, o Brasil aumentou três vezes o valor investido por aluno no ensino básico e deu importância a políticas como avaliações, base curricular e financiamento de estudantes em faculdades. No entanto, segundo contou o material, pouco olhou para a sala de aula. E os resultados da aprendizagem das crianças mostram que se caminha a passos lentos para chegar perto dos países que mudaram o rumo da sua educação. "Ainda não houve uma grande política voltada para o professor, com foco na formação, no salário, na carreira e na seleção desse profissional. A mudança, como mostram as pesquisas, passa por esses fatores", contou Renata. 

Leia aqui a reportagem vencedora

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.