Rogerio Santana/Governo do Rio
Rogerio Santana/Governo do Rio

Estado do Rio autoriza volta às aulas a partir de 14 de setembro

Medida só vale para regiões que permaneçam em baixo risco de contaminação pela covid-19 por pelo menos duas semanas seguidas

Fábio Grellet / RIO, O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2020 | 00h32

As aulas presenciais nas escolas particulares do Estado do Rio de Janeiro poderão ser retomadas a partir de 14 de setembro, e na rede pública, inclusive nas universidades, a partir de 5 de outubro, segundo decreto do governador Wilson Witzel (PSC) publicado em edição extra do Diário Oficial nesta quarta-feira (19). Existe uma restrição, porém: a medida só vale para regiões que permaneçam em baixo risco de contaminação pela covid-19 por pelo menos duas semanas seguidas antes da data prevista para a abertura. Ainda não é possível garantir que as aulas serão permitidas, portanto, e cada município pode adotar suas próprias regras.

Ainda de acordo com o decreto, estão autorizados, a partir desta quinta-feira (20), o funcionamento e a reabertura de estabelecimentos culturais nas regiões do Estado que estão com bandeira amarela: Baía da Ilha Grande, Baixada Litorânea, Metropolitana I, Metropolitana II, Noroeste, Norte e Serrana.

Para as salas de cinema, está prevista a retomada parcial com 40% da lotação ou 2 metros de distanciamento, além do cumprimento de todos os protocolos sanitários desenvolvidos pela Federação Nacional Das Empresas Exibidoras Cinematográficas e aprovados pelas secretarias estaduais de Saúde e de Cultura e Economia Criativa.

As salas de teatro, de concertos e centros culturais poderão abrir com até um terço da ocupação dos espaços, desde que respeitadas as orientações e as normas do Protocolo de Segurança Sanitária elaborado pela Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj).

O decreto também prevê que, a partir de 1.° de setembro, o transporte de detentos para audiências estará liberado, de forma gradativa e observando os protocolos definidos pelas autoridades sanitárias.

Restrições mantidas. Até o dia 4 de setembro seguem proibidos eventos com a presença de público, como jogos de futebol, shows, feiras, eventos científicos e passeatas. Também está proibida a permanência de pessoas nas praias, lagoas, rios e piscinas públicas.

Segue obrigatório o uso de máscaras de proteção respiratória em espaços públicos, transportes públicos, estabelecimentos comerciais e repartições públicas estaduais.

O decreto mantém a recomendação às prefeituras fluminenses de reabertura gradual de setores do comércio e da indústria, de acordo com as especificidades de cada cidade, em horários específicos para evitar aglomerações. Os municípios têm autonomia para adotar suas próprias regras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.