Marcelo Chello/Estadão
Marcelo Chello/Estadão

Governo de SP antecipa vacinação em idosos de 68 anos para a sexta-feira, 2

Estado também terá 163 novos leitos para pacientes do coronavírus no Hospital das Clínicas

Renata Cafardo e João Ker, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2021 | 05h00
Atualizado 31 de março de 2021 | 15h27

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira, 31, a antecipação da vacinação em aproximadamente 340 mil idosos de 68 anos para a próxima sexta-feira, 2. O grupo estava previsto para ser imunizado inicialmente na segunda-feira, 5. De acordo com o governador João Doria (PSDB), o Estado também comprou, com ajuda da iniciativa privada, 2 mil cilindros de oxigênio e outros mil concentradores de oxigênio, que começam a ser distribuídos nos municípios sem estoque ou usinas de oxigênio, com unidades menores, a partir da próxima semana. 

Doria também anunciou que o Hospital das Clínicas terá 163 novos leitos para pacientes do coronavírus, dos quais 58 são de UTI e 65 de enfermaria. Com apoio de um fundo da iniciativa privada, a equipe de saúde da unidade será mantida integralmente.

A distribuição dos cilindros de oxigênio deve começar ainda nesta quarta, com a entrega de 116 unidades. De acordo com a secretária estadual de Desenvolvimento Econômico Patrícia Ellen, o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems) já identificou 120 municípios em situação emergencial de oxigênio, com aumento de 40% na demanda apenas no último mês.

Nova variante

De acordo com membros do Centro de Contingência da Covid, a nova variante do coronavírus identificada em uma paciente de Sorocaba, no interior paulista, ainda não representa um perigo alarmante, mas a situação dela e dos familiares tem sido acompanhada pela Secretaria de Saúde e pela Vigilância Sanitária. A variação do vírus seria similar àquela registrada na África do Sul, mas informações preliminares apontam para a possibilidade de que ela seja uma evolução natural da variante brasileira P.1.

"Precisamos determinar qual a real incidência dessa nova variante, porque até o momento é um caso no universo de pandemia da P.1. Se for só um [caso], são as medidas que estão em andamento. Fora isso, é o acompanhamento genômico e sequenciamento para acompanhar o surgimento dessas novas variantes, o que é esperado para esse momento", afirmou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan

A paciente na qual a mutação foi identificada não viajou à África do Sul ou teve contato com qualquer pessoa daquela região, o que fortaleceria a tese de que a variação é uma evolução da P.1. Também foram encontradas "assinaturas" da cepa original do coronavírus, o que indicaria uma origem local da variante. 

Avanço da pandemia

O Estado registrou 1.160 óbitos e 23.269 pessoas infectadas pela covid nas últimas 24 horas, atingindo o total de 74.652 óbitos e 2.469.849 casos. O índice de ocupação observado em leitos de UTI se mantém em 92,2% no Estado, e em 91,8% na Grande São Paulo.

Hoje, pelo menos 12.975 pessoas estão internadas para tratamento intensivo e outras 18,216 em enfermarias do Estado, com 30 novos pacientes desde a última segunda-feira, 29. Na avaliação do secretário estadual de Saúde Jean Gorinchteyn, isso já indicaria uma desaceleração de transmissão do vírus, considerando que nas últimas semanas a média diária de internação ultrapava 100 pacientes.  

"Já temos sinais, inclusive pela proporção de positividade dos testes PCR, que estamos começando a ter uma melhora progressiva da situação", reforçou Paulo Menezes, do Centro de Contingência. Ele afirmou ainda que, apesar de estar em vigor há mais de três semanas, as medidas restritivas das fases vermelha e emergencial só devem refletir no número de óbitos a partir de meados de abril. 

"Tudo leva a crer que haverá uma redução. Agora, a coisa mais difícil desta pandemia é fazer previsões como essas. Esperamos que não tenhamos nenhuma novidade, como essa nova variante da África do Sul", reforçou João Gabbardo.

De acordo com os dados apresentados, houve ainda um aumento na média diária de 9,2% dos casos, 10% das internações  25,6% dos óbitos. Enquanto isso, a taxa de isolamento no Estado se manteve em 44% nas últimas segunda e terça-feira.    

Educação

Durante a coletiva, Doria anunciou a retomada do programa Merenda Em Casa, que oferece um auxílio mensal de R$ 55 aos alunos em situação vulnerável registrados no CadÚnico. O primeiro pagamento será feito a partir da próxima quarta-feira, 7, através do aplicativo PicPay, e deve beneficiar 920 mil estudantes da rede municipal.  

O governo, como adiantou o Estadão, anunciou ainda que as escolas particulares podem voltar a receber até 35% dos alunos a partir do próximo dia 5, desde que sejam considerados prioritários, como crianças em fase de alfabetização, com deficiências, em educação infantil ou com necessidade de internet. Mas na capital, a Prefeitura, segundo o Estadão apurou, estuda autorizar a reabertura apenas depois de 12 ou 19 de abril. 

As escolas estaduais estarão abertas apenas para alimentação e ajuda para ensino online na próxima semana. Já com base em análises de números da pandemia e reuniões com especialistas, há quase consenso na Prefeitura, da gestão Bruno Covas (PSDB), de que não é possível permitir que as aulas presenciais voltem na segunda-feira, 5, como havia sido planejado pela própria gestão municipal.

Apesar da recomendação do Estado, as prefeituras podem ser mais restritivas. Nas duas hipóteses de datas, a educação seria a primeira a reabrir na capital, mantendo ainda comércio, bares e restaurantes fechados.

O governo estadual havia decretado recesso escolar da rede até 26 de março, mas diversos municípios anteciparam feriados para toda esta semana até a Páscoa. Depois que a fase emergencial anunciada pela gestão Doria foi prorrogada até 11 de abril, havia dúvidas sobre o que o Estado iria autorizar para semana que vem na educação. Não há ainda definição estadual sobre qual será o procedimento a partir do dia 12.

Estado e Prefeitura têm travado embates sobre a abertura das escolas durante toda a pandemia. O governo foi surpreendido quando Covas resolveu fechar totalmente a educação até o dia 5.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.