Estado de São Paulo avalia o desempenho de suas escolas

Desta vez, bom desempenho de estudantes no Saresp virará bônus para os funcionários das escolas

Paulo Darcie, de O Estado de S. Paulo,

28 de novembro de 2007 | 16h55

O desempenho das escolas estaduais paulistas está sendo medido, nesta semana, pelas provas do Sistema de Avaliação de rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp). As que e alcançarem a meta estipulada pela Secretaria de Estado da Educação, terão seus funcionários recompensados com até três salários no ano que vem.   O Saresp avalia os conhecimentos dos alunos de 1ª, 2ª, 4ª, 6ª e 8ª séries do ensino fundamental e do 3º ano do ensino médio nas disciplinas de língua portuguesa e matemática. Os alunos são submetidos ao Saresp desde 1996, mas só nesse ano a prova renderá aos funcionários das escolas algum tipo de incentivo. As metas de cada escola serão anunciadas até 15 de dezembro e o resultado das provas, em fevereiro.   A bonificação não será exclusiva para os professores, e chegará também a cargos como de faxineiros e vigias. Segundo a Secretária de Estado de Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, a concessão de bônus é uma tendência em todo o País, e uma maneira de motivação profissional."É uma forma de valorizar , além do normal da carreira", afirma.   O governador José Serra foi à Escola Estadual Andronico de Melo, na Vila Sônia, entregar a folha de prova ao alunos, e minimizou a contestação que os sindicatos do setor fazem quanto à política de gratificações. "Sindicato não poderia dizer nada diferente, estão sempre nessa."   Ele ainda reconheceu a deficiência na qualidade do ensino público, e disse que a avaliação do Saresp deve ser acompanhada de medidas para melhorar o ensino. "A garotada tem acesso a à escola, mas ainda falta melhorar muito a qualidade. Em São Paulo, tanto no Estado como na capital, poderia ser melhor. No interior, o ensino tende a ser melhor", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
sarespensino públicoavaliação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.