Escolas recuam e adiam aulas mais uma vez

A maioria das instituições que planejavam volta hoje mudou para dia 17

Mariana Mandelli e Ana Bizzotto, Especial para O Estado de S. Paulo

10 Agosto 2009 | 21h09

Muitos colégios e escolas de São Paulo que haviam anunciado o retorno às aulas para hoje acabaram mudando de ideia e adiaram o começo do semestre para o dia 17, como a rede pública paulista. Um total de 26 escolas, que chegaram a divulgar a retomada do ano letivo para hoje, prorrogaram as férias forçadas em mais uma semana.   O Colégio Friburgo é um desses casos. Segundo o diretor Ciro de Figueiredo, o adiamento recorrente se deve a fatores diversos. "Muitos pais disseram que mesmo que nós voltássemos hoje, não trariam os filhos", afirma. "Estávamos temendo uma escola vazia, em que não pudéssemos realizar nada de especial."   A escola adiou o início das aulas por precaução. "Se acontecer alguma coisa, podemos ser responsabilizados por não seguir a orientação do governo", afirma Figueiredo.   No Colégio Castanheiras, a diretoria tem a mesma opinião. "Adiar novamente é uma decisão covarde no bom sentido. Recuamos por prevenção", afirma Débora Vaz, diretora-pedagógica. "Quando um órgão competente orienta, quem somos nós para não obedecer?"   Segundo a diretora, a escoa optou inicialmente por divulgar o dia 10 porque esperava que a situação se normalizasse e as informações sobre a situação ficassem menos confusas. Retomada mantida No Etapa, os alunos do ensino médio e do cursinho voltaram às aulas hoje, enquanto os alunos de ensino fundamental e infantil vão voltar no dia 17. Os estudantes recomeçaram o semestre no dia 27, mas as aulas foram interrompidas no dia 30 seguindo a recomendação da Secretaria da Educação.   "Procuramos o melhor equilíbrio considerando todos os fatores, para preservar a saúde deles e também o compromisso educacional. Aumentamos as medidas de segurança higiênica e seguimos as orientações de Vários epidemiologistas, que recomendaram que o retorno poderia ser hoje", explica o diretor Carlos Eduardo Bindi. "Os alunos mais velhos são mais disciplinados e atentos às orientações, enquanto as crianças são mais agitadas e mais frágeis ao contágio, por isso mantivemos o retorno delas para o dia 17."   O Colégio Presbiteriano Mackenzie optou por manter a volta às aulas ontem para todos os alunos, do ensino infantil ao médio. A escola havia começado o semestre no dia 27 de julho e suspendeu as aulas do dia 30 (de julho) até sexta-feira passada, atendendo à recomendação da Secretaria de Estado.   "Nesse período avaliamos as condições e temos feito todo um trabalho de orientação. As famílias têm sido muito parceiras nesse sentido. O próprio ministro (da Sáude, José Gomes Temporão) declarou que não havia necessidade de adiar as aulas", avalia a diretora da escola, Débora Oliveira. A escola ainda não registrou nenhum caso e recomenda aos pais que mantenham em casa as crianças com qualquer tipo de sintoma.   Escolas que retomariam semestre hoje e decidiram adiar a volta para o dia 17:    Colégio Pueri Domus  Rede estadual - PR  Colégio Batista Brasileiro  Colégio Objetivo Infantil e Fundamental  Colégio Cristo Rei  Colégio Domus Sapentiae  Colégio Franciscano Pio XII  Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida  Colégio Hugo Sarmento  Colégio Friburgo  Colégio I.L.Peretz  Colégio Lavne  Nova Escola-Bialik e Renascença  Colégio Beit Yaacov  Colégio Miguel de Cervantes  Colégio Montessori Santa Terezinha  Colégio Oswald de Andrade/Caravelas  Colégio da Polícia Militar  Colégio Porto Seguro    Colégio Santa Cruz    Santo Américo    Escola Móbile    Escola Stance Dual    Colégio Vértice    Escola Carandá    Escola Castanheiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.