Escolas recuam e adiam aulas mais uma vez

A maioria das instituições que planejavam volta hoje mudou para dia 17

Mariana Mandelli e Ana Bizzotto, Especial para O Estado de S. Paulo

10 Agosto 2009 | 21h09

Muitos colégios e escolas de São Paulo que haviam anunciado o retorno às aulas para hoje acabaram mudando de ideia e adiaram o começo do semestre para o dia 17, como a rede pública paulista. Um total de 26 escolas, que chegaram a divulgar a retomada do ano letivo para hoje, prorrogaram as férias forçadas em mais uma semana.   O Colégio Friburgo é um desses casos. Segundo o diretor Ciro de Figueiredo, o adiamento recorrente se deve a fatores diversos. "Muitos pais disseram que mesmo que nós voltássemos hoje, não trariam os filhos", afirma. "Estávamos temendo uma escola vazia, em que não pudéssemos realizar nada de especial."   A escola adiou o início das aulas por precaução. "Se acontecer alguma coisa, podemos ser responsabilizados por não seguir a orientação do governo", afirma Figueiredo.   No Colégio Castanheiras, a diretoria tem a mesma opinião. "Adiar novamente é uma decisão covarde no bom sentido. Recuamos por prevenção", afirma Débora Vaz, diretora-pedagógica. "Quando um órgão competente orienta, quem somos nós para não obedecer?"   Segundo a diretora, a escoa optou inicialmente por divulgar o dia 10 porque esperava que a situação se normalizasse e as informações sobre a situação ficassem menos confusas. Retomada mantida No Etapa, os alunos do ensino médio e do cursinho voltaram às aulas hoje, enquanto os alunos de ensino fundamental e infantil vão voltar no dia 17. Os estudantes recomeçaram o semestre no dia 27, mas as aulas foram interrompidas no dia 30 seguindo a recomendação da Secretaria da Educação.   "Procuramos o melhor equilíbrio considerando todos os fatores, para preservar a saúde deles e também o compromisso educacional. Aumentamos as medidas de segurança higiênica e seguimos as orientações de Vários epidemiologistas, que recomendaram que o retorno poderia ser hoje", explica o diretor Carlos Eduardo Bindi. "Os alunos mais velhos são mais disciplinados e atentos às orientações, enquanto as crianças são mais agitadas e mais frágeis ao contágio, por isso mantivemos o retorno delas para o dia 17."   O Colégio Presbiteriano Mackenzie optou por manter a volta às aulas ontem para todos os alunos, do ensino infantil ao médio. A escola havia começado o semestre no dia 27 de julho e suspendeu as aulas do dia 30 (de julho) até sexta-feira passada, atendendo à recomendação da Secretaria de Estado.   "Nesse período avaliamos as condições e temos feito todo um trabalho de orientação. As famílias têm sido muito parceiras nesse sentido. O próprio ministro (da Sáude, José Gomes Temporão) declarou que não havia necessidade de adiar as aulas", avalia a diretora da escola, Débora Oliveira. A escola ainda não registrou nenhum caso e recomenda aos pais que mantenham em casa as crianças com qualquer tipo de sintoma.   Escolas que retomariam semestre hoje e decidiram adiar a volta para o dia 17:    Colégio Pueri Domus  Rede estadual - PR  Colégio Batista Brasileiro  Colégio Objetivo Infantil e Fundamental  Colégio Cristo Rei  Colégio Domus Sapentiae  Colégio Franciscano Pio XII  Colégio Franciscano Nossa Senhora Aparecida  Colégio Hugo Sarmento  Colégio Friburgo  Colégio I.L.Peretz  Colégio Lavne  Nova Escola-Bialik e Renascença  Colégio Beit Yaacov  Colégio Miguel de Cervantes  Colégio Montessori Santa Terezinha  Colégio Oswald de Andrade/Caravelas  Colégio da Polícia Militar  Colégio Porto Seguro    Colégio Santa Cruz    Santo Américo    Escola Móbile    Escola Stance Dual    Colégio Vértice    Escola Carandá    Escola Castanheiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.