DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO

Escolas internacionais são opção para garantir idioma fluente

Colégios mantêm ensino das matérias dadas lá fora; com isso, alunos podem tentar ingresso na faculdade no exterior

Simei Morais, Especial para o Estado

18 Setembro 2015 | 08h05

Além de colégios bilíngues, as escolas internacionais de São Paulo são uma opção a ser considerada por pais que desejam para os filhos fluência numa língua estrangeira. Enquanto as primeiras instituições seguem os Parâmetros Nacionais Curriculares (PCNs) do Brasil, as outras adotam o currículo de seu país de origem. Os alunos podem, assim, fazer a graduação naquele país.

De acordo com informações do Ministério da Educação (MEC), as escolas internacionais podem seguir também o currículo brasileiro, juntamente com o do país de origem, para dar ao aluno a possibilidade de prestar vestibular no Brasil. 

É o caso da St. Nicholas, instituição na qual os estudantes cumprem os currículos britânico e brasileiro. A escola é credenciada pelo International Baccalaureate Organization (IBO), diploma que dá acesso a universidades no mundo todo. 

No Miguel de Cervantes, de origem espanhola, o currículo brasileiro é integrado ao internacional. “Parte dos alunos presta o Selectividad, exame para faculdade na Espanha ou em países da União Europeia que mantenham acordos com o governo espanhol”, explica Amélia Salazar, diretora do colégio. 

Novidade. A partir de 2016, a escola bilíngue PlayPen vai integrar o currículo britânico ao nacional no ensino fundamental. “O aluno que sair do 9.º ano poderá ingressar no ensino médio brasileiro ou em high school”, afirma a diretora da instituição, Daniella Leonardi. 

Mais conteúdo sobre:
IdiomasEducação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.