Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Escola e pais conseguiram poupar três árvores

Bastou abolir as antigas agendas de papel e adotar um diário eletrônico, de preenchimento online

Isis Brum, Jornal da Tarde

29 Julho 2010 | 11h13

JORNAL DA TARDE

A engenheira de vendas Carla Alves de Almeida, de 31 anos, está a apenas um clique de distância do dia a dia escolar de sua filha Malu, de 2. Durante o expediente, acompanha, em tempo real, se a criança comeu, dormiu, se tomou o remédio necessário ou se teve alguma indisposição.

 

Como ela, os outros 49 pais com filhos de 0 a 3 anos matriculados no berçário Les Enfants d’Emilie, na Vila Mascote, zona sul de São Paulo, receberam este ano um login e uma senha de acesso ao invés de um diário. A iniciativa, que também tem foco ambiental, evitou o corte de mais de três árvores.

 

“Para mim, que trabalho fora, a agenda virtual é muito melhor. Passo o dia todo em frente ao computador e vejo o que aconteceu com a Malu”, aprova Carla.

 

Mãe de Breno, a secretária executiva Marcela Patrícia Ubilla Vieira, de 38 anos, não tinha muito tempo para olhar a agenda e, hoje, se organiza melhor. “Se ele teve assadura e não tem pomada em casa, compro antes. É muito mais fácil”, garante.

 

A agenda está disponível no portal do colégio. Ao acessar o site, o pai escreve o horário da última refeição feita pelo bebê. A partir daí, verifica os campos: recados, cotidiano – da entrada à saída – medicamentos, pedidos, cardápios – às quintas-feiras, o cardápio da semana seguinte é atualizado – e ficha com dados de pais e filhos.

 

Em “medicamentos”, por exemplo, o responsável informa o nome do produto a ser administrado, a dosagem e o horário. Depois, confirma se a criança foi medicada e quem administrou.

 

Quanto aos recados enviados, o sistema envia um alerta quando os pais leram a mensagem, sendo possível controlar se foram ou não informados de um evento que ocorrerá no berçário. Como as informações são preservadas, os responsáveis acessam o histórico dos filhos desde o primeiro dia deles na escolinha.

 

“A agenda não tem por objetivo privar os pais do contato pessoal com os educadores, mas intensificar essa relação”, explica Viviani Zampano, coordenadora pedagógica do berçário Les Enfants d’Emilie. Depois de enfrentar a resistência inicial da maioria dos pais, ela diz que, hoje, apenas dois ou três ainda preferem a agenda de papel. “Os pais entenderam que, dessa forma, os professores têm mais tempo livre para se dedicarem aos filhos deles”.

 

Ainda de acordo com Viviani, o projeto economizou 80 agendas com 300 folhas cada uma – cerca de 180 kg de papel, considerando a gramatura do sulfite A4 (75 gramas). Sem considerar a economia com as fotocópias, o berçário preservou ao menos três árvores, pois é preciso cortar uma para produzir 50 kg desse material.

 

Meio ambiente

 

- A escola economizou 80 agendas com 300 folhas cada

 

- 1 folha de sulfite pesa 75 gramas

 

- A escola economizou 180 kg 

 

- O total de papel economizado equivale a mais de três árvores

Mais conteúdo sobre:
ecologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.