Escola de negócios espanhola lança escritório em SP

Esade pretende desenvolver parcerias com empresas e instituições de ensino para captar novos alunos

Bruna Tiussu, Especial para O Estado de S. Paulo

28 Julho 2009 | 17h26

A escola de negócios espanhola Esade escolheu São Paulo para fundar, neste mês, seu primeiro escritório do projeto Global Centers. O objetivo do projeto é atuar de maneira mais efetiva no País, gerando conhecimento, desenvolvendo parcerias com instituições educacionais e empresas, além de estudar o cenário local.   A diretora-geral da escola, Eugênia Bieto, justifica a aposta no escritório brasileiro pois, segundo ela, as economias emergentes são a nova fonte de inspiração dos europeus. "As empresas daqui têm mostrado habilidade para inovação e se tornam globais rapidamente", afirma. Ela cita também o grande histórico de parcerias entre empresas brasileiras e espanholas, como nos setores de telecomunicações, automóveis e turismo. "O comércio entre os dois países aumentou consideravelmente nos últimos 20 anos, um exemplo de parceria estável é com a Embraer. O Brasil é um dos países que mais recebe investimentos espanhóis."   Outro fator considerado é que a Esade já possui convênios com escolas brasileiras. Há um intercâmbio de alunos de MBA com a FGV e uma parceira entre as faculdades de direito da Esade e da USP, além de projetos de pesquisa desenvolvidos em conjunto. E, segundo dados da Esade, o Brasil é o quarto país mais interessado em fazer MBA na Espanha.   "A intenção inicial não é oferecer os cursos no Brasil, o escritório será de networking. Vemos potenciais candidatos brasileiros para nossos cursos e pretendemos captá-los através das parcerias com empresas e escolas de negócios do Brasil", explica Alessandra Diniz, gerente de desenvolvimento de negócios da Esade.   O MBA executivo é o curso mais reconhecido da Esade, ficou entre os 20 melhores na revista Financial Times e a Business Week. "A crise financeira mundial mostrou que não é necessário apenas as melhores técnicas de gestão, mas também valores de integridade e ética. É o que sempre tentamos passar para nossos alunos", diz Eugênia.   A Esade foi fundada em 1958 e atualmente possui 12 mil alunos de 87 nacionalidades estudando em seus três campus: Madri, Barcelona e Buenos Aires. O diretor de reputação internacional da Esade, Ivan Bofarul, explica que a população estudantil se tornou global. "Um asiático estuda na Europa e procura emprego em uma multinacional brasileira. Por isso decidimos ser um player também global, conectando diferentes culturas." O próximo escritório do projeto está previsto para ser criado na Índia, em um ano e meio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.