Esalq comemora formatura do agrônomo 10 mil

Solenidade, que marca a comemoração dos 75 anos da USP, será um encontro de novos e antigos esalquianos

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo,

22 de janeiro de 2009 | 21h55

A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP) vive na sexta-feira, 23, um dia histórico. A escola de Piracicaba, fundada há 108 anos, entrega o diploma ao engenheiro agrônomo de número 10 mil. A solenidade, que marca também a comemoração dos 75 anos da USP, será um encontro de novos e antigos esalquianos, entre eles pesquisadores responsáveis pelo avanço que o agronegócio teve nas últimas décadas. O gramado central vai receber nomes como Roberto Cano de Arruda, presidente da Sociedade Rural Brasileira e esalquiano formado em 1963. Ele será o paraninfo - além dos 94 agrônomos formam-se turmas de engenheiros florestais, bacharéis em Ciências Econômicas, Gestão Ambiental, Ciências de Alimentos e Ciências Biológicas.  E coube à formanda Susana Lin, filha de taiwaneses, o destaque do evento. Na contagem dos formandos em Engenharia Agronômica desde a 1ª turma até a 105ª, ela é a 10.000ª a receber o diploma. "Considero a Esalq a minha segunda casa, pois aqui fiz amigos e encontrei os fundamentos para o meu desenvolvimento profissional." Susana mora com os pais em Campinas. Eles emigraram de Taiwan na década de 70. Como muitos outros esalquianos, Susana sai da universidade empregada: trabalha em uma empresa de insumos químicos e crê que o diploma vai abrir portas. "Não esperava ser a 10 mil, é muita honra", disse. O diretor Antonio Roque Dechen considera a formatura um fato marcante. "Mostra que a universidade cumpre o papel central que é a formação de profissionais que atuam com seriedade e competência no desenvolvimento da agricultura brasileira". Para Dechen, o sucesso do agronegócio brasileiro tem a participação da Esalq.  Os patronos de cada turma de formandos são personalidades nas cadeias do agronegócio brasileiro, como Christiano Ernesto Burmeister (Iharabras), Antonio Sergio Alípio (Veracel Celulose), Ivan Wedekin (BM&F Bovespa), Miguel Graziano Russo (Independência Alimentos), Marcos Sawaya Jank (Única) e Siu Mui Tsai (Centro de Engenharia Nuclear na Agricultura). Segundo o mestre-de-cerimônias, professor Luiz Gustavo Nussio, as comemorações prosseguem amanhã, com a cerimônia de Ação de Graças e o tradicional plantio de árvores. Haverá homenagens para professores, funcionários e serão premiados os alunos com melhor desempenho em cada turma - entre eles Susana Lin. A cerimônia destaca a consolidação do programa de dupla diplomação em Engenharia Agronômica, numa parceria entre Brasil e França. Estarão presentes professores de três instituições francesas, na formatura da primeira turma da dupla diplomação.  A Esalq é uma das unidades fundadoras da USP. Entre 1901, ano em que a Escola Agrícola Prática São João da Montanha foi inaugurada, e 1934, quando a USP foi fundada fez parte da Secretaria de Agricultura do Estado. Ocupa 3,8 mil hectares, com câmpus Luiz de Queiroz e as estações experimentais de Anhembi, Anhumas e Itatinga, o que corresponde a mais de 50% da área total da USP. Tem 6 cursos de graduação e 17 programas de pós-graduação que se utilizam de seus 11 departamentos. Oferece anualmente 390 vagas em cursos de graduação em Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal, Ciências Econômicas, Ciências dos Alimentos, Gestão Ambiental e Ciências Biológicas. No total, recebe diariamente cerca de 2 mil estudantes de graduação e 1 mil pós-graduandos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.