<!-- eprograma -->Planetário de SP vai ganhar projetor de18 metros

Em menos de um ano, estrelas, planetas e constelações estarão mais perto dos paulistanos. Com a instalação do projetor Starmaster no Planetário do Parque do Ibirapuera, zona sul de São Paulo, o público poderá ver quase em tempo real imagens da galáxia, transmitidas por satélites da agência espacial norteamericana - a Nasa.O equipamento, o mais moderno do País, vai substituir o Universarium 3, único exemplar ainda em funcionamento no mundo. Será um espetáculo nunca visto num planetário brasileiro. O Planetário do Ibirapuera está fechado desde 1999."Estamos fechando parceria com fundações e empresas. Esse grupo vai doar R$ 21 milhões para financiar o Projeto de Restauro e Revitalização do Planetário, a compra do Starmaster e de outros equipamentos", informou o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Adriano Diogo.Escola de AstrofísicaO projeto também vai beneficiar a Escola Municipal de Astrofísica, instalada ao lado do planetário. Depois de iniciadas, as obras devem ser concluídas em até dez meses.O prédio está interditado desde 1999 por causa da ação de cupins e da infiltração de água. Na sala de projeção, as paredes já perderam o revestimento e as poltronas estão soltas e empoeiradas. Algumas, tombaram. No piso da sala, há trechos onde persiste um carpete vermelho.No centro do auditório, está instalado o projetor Universarium 3, fabricado em 1942, que vai virar peça de museu com a chegada do novo modelo. O equipamento ainda funciona, exibindo de forma precária o céu estrelado, sem a qualidade de quando o equipamento foi inaugurado, em 1957."O projetor também provoca ecos e microfonia, causando um efeito negativo e prejudicando o sistema de som da apresentação", destacou a diretora do Departamento de Parques e Áreas Verdes, Simone Malandrino. "Para resolver o problema, uma cúpula metálica, com perfurações, vai passar a revestir a de concreto."20 metros de diâmetroTécnicos da empresa alemã Zeiss, fabricante dos projetores, Ingrid Stark e Michael Geisler indicaram o projetor Starmaster por ser o mais adequado para a cúpula do Planetário do Ibirapuera. "Ela possui 20 metros de diâmetro, espaço suficiente para abrigar o projetor, que tem 18 metros", explicou Ingrid.O Starmaster tem capacidade para projetar 9 mil estrelas com bastante clareza e na dimensão exata. "Não possui motor, mas seu software consegue reproduzir o céu de 6 mil anos atrás em 30 segundos, enquanto os antigos levariam dias", disse a técnica alemã. Esse equipamento ainda contará com 12 projetores principais e 32 secundários.Planetário do CarmoEm maio de 2004, o Planetário do Parque do Carmo, na zona leste de São Paulo, também deverá estar pronto. Três meses antes, técnicos da Zeiss vão iniciar a modernização do projetor Universarium 8, adquirido há sete anos pela Prefeitura."Será transformado num modelo 9, um dos mais modernos do mundo", informou o secretário Diogo. "Atualmente, só existe um desses em Nova York".As obras no prédio de 1.650 metros quadrados já foram iniciadas e deverão ser concluídas em nove meses. O planetário da zona leste ficará no topo de um morro e terá a aparência de uma nave espacial. A sala de projeção poderá receber 222 pessoas.A modernização do projetor, a construção do prédio e a instalação de outros equipamentos custarão R$ 11 milhões. Os recursos virão da Telefônica, parceira da Prefeitura nesse projeto.

Agencia Estado,

01 de agosto de 2003 | 11h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.