<!-- eprograma -->Palavra Cantada faz programa de rádio para crianças

Crianças que não tiveram o privilégio de conhecer as músicas de Sandra Peres e Paulo Tatit agora podem tirar o atraso, no rádio, com o programa semanal Palavra Cantada. A dupla que conquistou os principais prêmios brasileiros de música para os pequenos ? com uma qualidade e profundidade nada infantis ? embala o que talvez seja o único programa do gênero no rádio brasileiro. ?É um programa com as crianças e para as crianças?, enfatiza Sandra, lembrando que a molecada tem participação ativa na produção e, na hora de ouvir, merece algo inteligente.Palavra Cantada, que estreou neste domingo, tem uma hora de duração e vai ao ar, sempre a partir das 11h00, pela Rádio América AM (1410 khz), de São Paulo, com transmissão simultânea por emissoras de 18 outras cidades em 11 Estados (veja abaixo).Para quem já conhece o Palavra Cantada dos CDs, como Canções Curiosas, e dos shows pelo Brasil, esta é mais do que uma chance de ouvir no rádio do carro músicas como Criança não Trabalha, Pindorama, Sopa, Eu ou Sai Preguiça. As produtoras Mariana de Viveiros e Mônica Calmon montaram um programa com notícias, entrevistas com crianças, dicas de passeios e diversões, entre um som e outro. ?Queremos trazer os nossos pequenos ouvintes aqui no estúdio também?, planeja Mônica.E há um detalhe importante: os apresentadores são jovens da Oficina de Rádio da Brinquedoteca de Barueri (SP).?Chame sua Mãe?Palavra Cantada dá uma canja especial aos pais ? mas sempre em benefício dos filhos. Dois minutos são destinados a dar toques aos adultos sobre como ajudar os pequenos a crescerem bem. ?Queremos mostrar como evitar erros cotidianos que atropelam o crescimento das crianças e conduzem a grandes problemas no futuro?, explica a psicóloga Angela Minatti. Esta ?parada? no programa vem com a vinheta ?Chame sua Mãe?, e neste domingo de estréia a especialista defendeu a molecada explicando ?porque eles ainda pedem para brincar com a gente depois de um dia inteiro de passeios?.A idéia de usar o rádio para falar aos pequenos e dar voz a eles surgiu há alguns anos. ?Pensamos em chegar àquelas crianças que estão no carro, no trânsito, falar com elas...?, conta Paulo Tatit. ?E também queremos que as crianças que não podem comprar um CD tenham acesso à nossa música.? Mariana e Mônica também tiveram a idéia de fazer um programa de rádio para o público infantil, anos atrás, quando concluíam o curso de jornalismo. ?Fizemos um programa para crianças como trabalho de conclusão de curso?, lembra Mariana. O programa delas, alías, foi premiado.A parceria que resulta no Palavra Cantada radiofônico envolve também o psicólogo Ivan Capelatto que, junto com Angela Minatti, publicaram durante três anos a coluna Projeto de Vida em vários jornais brasileiros e na internet. A coluna, com orientações aos pais sobre os cuidados na rotina com os filhos, foi reconhecida pelo Unicef no Brasil como contribuição importante na prevenção contra a violência, o uso de drogas e outros problemas da infância e adolescência, além de promover o desenvolvimento da cidadania. Também foi incluída no Banco de Ações pela Educação, do MEC.As emissoras que transmitem o programa Palavra CantadaSP: São Paulo - Rádio América (AM 1410 khz) Jundiaí e Cabreúva ? Rádio Japi (AM 1590 khz) Araçatuba e Birigüi ? Rádio Clube (AM 850 khz) Sorocaba ? Rádio Cacique (AM 1160 khz) Boituva ? Rádio Nova América (AM 1490 khz) RJ: Rio de Janeiro ? Rádio Difusora Carioca (AM 710 khz) MG: Bambuí ? Rádio Cidade (AM 670 khz) PR: Londrina ? Rádio Norte (AM 1160 khz) Mandaguari ? Rádio Guairacá (AM 1270 khz) BA: Feira de Santana e São Gonçalo do Campo ? Rádio São Gonçalo (AM 1410 khz) PE: Vitória de Santo Antão ? Rádio Cultural de Vitória (AM 1180 khz) PB: João Pessoa ? Rádio Correio (AM 1340 khz) CE: Camocin ? Rádio Pinto Martins (AM 1450 khz) MS: Campo Grande ? Rádio Concórdia (AM 1120 khz) ES: Vitória e Cariacica ? Rádio FM Líder (FM 91,1 mhz) SE: Itabaiana ? Rádio Princesa da Serra (AM 830 khz)

Agencia Estado,

12 de outubro de 2003 | 01h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.