Entidades oferecem bolsas para graduação e pós no exterior no 2º semestre de 2014

Fundação Estudar e Nuffic Neso Brazil estão com inscrições abertas para seleção até março

Guilherme Soares Dias/Especial para o Estado,

30 Janeiro 2014 | 01h36

Os estudantes que querem fazer graduação ou pós-graduação no exterior no segundo semestre de 2014 e precisam de ajuda financeira devem correr. A inscrição para concorrer a uma bolsa da Fundação Estudar (bolsas.estudar.org.br) está aberta até o fim de março.

“Reconhecemos por mérito gente que tem chance de fazer algo pela carreira ou pelo País”, diz a gerente de projetos da fundação, Renata Moraes.

Quem tem interesse em estudar em uma universidade holandesa tem outra opção: o Orange Tulip Scholarship Brazil, da entidade Nuffic Neso Brazil, que concede bolsas integrais e parciais (www.nesobrazil.org/bolsas-de-estudo/orange-tulip-scholarship). As inscrições para participar do processo também vão até março.

O estudante que deseja ir para a França pode procurar o Ifesp (ifesp.com.br), instituto franco-brasileiro, que não concede bolsas, mas ajuda o interessado com a documentação.

“Contribuímos na candidatura para universidades, na preparação do exame de proficiência e no projeto de pesquisa”, diz a diretora do Ifesp, Pauline Charoki. Quem entra em uma universidade francesa recebe automaticamente 200 euros do governo francês por mês, como ajuda de custo.

Raiane Pinheiro

Estudante de Engenharia Mecatrônica, de 24 anos

São as bolsas que mantêm a acadêmica Raiane Pinheiro, de 24 anos, na Itália. Ela estuda Engenharia Mecatrônica na Universidade de São Paulo (USP) e conseguiu bolsas do Ciência Sem Fronteiras em 2012 e da Fundação Estudar em 2013/2014 para fazer parte da graduação na Itália. “Terei duplo diploma. É uma experiência fantástica, que me tira da zona de conforto e me faz lidar com novas situações. Abriu portas e novos horizontes”, afirma. A estudante tem aulas em inglês, mas estudou italiano antes de ir para o exterior. “É importante para me comunicar com as pessoas.” Após o curso, a jovem pretende voltar para o Brasil. “Quero contribuir aqui com coisas que aprendi lá.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.