Ensinar persistência é positivo para os bebês, diz estudo

Incentivar os bebês a ser persistentes e oferecer muitos estímulos pode ajudar a melhorar a capacidade de aprendizado das crianças, disseram pesquisadores. Muitos pais já usam brinquedos educacionais, vídeos especialmente produzidos e cartões com ilustrações para ajudar o cérebro das crianças a se desenvolver. Mas cientistas que atuam nos EUA descobriram que as mães que ensinam aos bebês tarefas simples e que os incentivam a persistir colaboraram com seu desenvolvimento cognitivo. "A persistência parece ser uma qualidade estável, que pode ser medida desde cedo, e tanto a persistência do bebê como o ensinamento da mãe são caminhos diretos para a situação da cognição no início do segundo ano de vida", disse Poonam Nina Banerjee, da Universidade de Columbia, em Nova York. Num estudo publicado na revista Infant Behavior and Development, Banerjee e Catherine Tamis-LeMonda, da Universidade de Nova York, observaram 65 mães de baixa renda, que moravam em áreas urbanas com seus bebês. As mães foram orientadas a ensinar a seus bebês de seis meses a puxar um carro por uma corda, a virar a página de um livro, a fazer um barulho com um brinquedo e a transferir um bloco de uma mão para outra. Quando as crianças tinham um ano e dois meses, elas foram ensinadas a identificar partes do corpo e a empilhar blocos formando uma torre. As pesquisadoras mediram a persistência das crianças gravando seu comportamento e usaram uma escala padrão de teste para avaliar memória, capacidade de solucionar problemas e outras habilidades.

Agencia Estado,

28 de fevereiro de 2007 | 17h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.