Ensinar melhor matemática pode ajudar educação, diz ministro

Sergio Rezende pede uma conscientização dos alunos para a disciplina, 'básica para todas as outras'

Agência Brasil,

14 Dezembro 2009 | 16h31

A conscientização dos alunos sobre a importância do estudo das ciências exatas aliada à mobilização de professores, em ambiente escolar motivador, contribui para a melhoria da educação pública no Brasil, afirmou nesta segunda-feira, 14, o ministro da Ciência e Tecnologia (MCT), Sergio Rezende.   Veja também: Educação básica têm desempenho 'insatisfatório'     Ele fez a declaração durante o anúncio dos vencedores da 5ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), em Brasília. O número de inscritos, 19,2 milhões, corresponde a cerca de 10% da população brasileira, segundo informou o ministro.   "A matemática é básica para todas as matérias, é essencial para as ciências, mas também para áreas não científicas. Essa grande olimpíada traz grandes benefícios e contribui para a melhoria da qualidade do ensino público brasileiro" afirmou Rezende.   Para a secretária da Educação Básica do Ministério da Educação, Maria do Pilar Lacerda, a expressiva quantidade de participantes da Obmep é reflexo da conscientização de alunos e professores quanto à importância da disciplina. Ao lembrar que os alunos participam espontaneamente da olimpíada, a secretária também destacou a quantidade de talentos que podem ser descobertos durante as etapas da competição.   A diretora acadêmica da Obmep, Suely Druck, também ressaltou a importância da olimpíada como instrumento fundamental para a melhoria do ensino da disciplina nas escolas, "criando um ambiente saudável e motivador". Para ela, essa motivação abrange tantos professores, que buscam inovar na forma de ensinar o conteúdo, quanto alunos, que se empenham "nessa competição saudável".   Suely lembrou ainda o caráter de inclusão social do campeonato, com a concessão de bolsas de iniciação científica aos alunos vencedores, em parceria com o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).   O presidente da Capes, Jorge Guimarães, também destacou a grande adesão à Obmep e sugeriu a inclusão de mais áreas do conhecimento nessa modalidade de competição escolar. "Poderíamos avançar para outras olimpíadas, já que ela está se mostrando um bom instrumento para mobilizar o ensino público."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.