Engenharia de Produção na Unesp só tem 1 matriculado

1ª chamada do vestibular mais concorrido da história da instituição teve 90% de desistência

Chico Siqueira - O Estado de S.Paulo

09 Agosto 2011 | 09h48

ESPECIAL PARA O ESTADO

BAURU

Apenas um candidato classificado no vestibular se matriculou para o curso de Engenharia de Produção da Unesp de Bauru. O curso, que foi o mais concorrido entre todos os de Engenharia do câmpus - os outros são de Elétrica, Mecânica e Civil -, atraiu, na primeira chamada, apenas 1 dos 40 candidatos aprovados para a turma do meio de ano. Ontem foi aberta a segunda chamada, mas somente metade das vagas foi preenchida; por isso, é certeza de que haverá a terceira chamada e, possivelmente, uma quarta.

Foi a primeira vez que isso ocorreu no câmpus. A situação surpreendeu professores e alunos, pois o vestibular para o curso de Engenharia de Produção teve um crescimento de 30% no número de inscritos para o vestibular deste ano, com relação de 37 candidatos/vaga, a maior do concurso. "Foi um fenômeno que nos surpreendeu e ainda não temos explicação para ele", afirmou o vice-diretor da Faculdade de Engenharia de Bauru (FEB), José Angelo Cagnon.

Algumas suspeitas são de que o vestibular tenha sido feito por uma grande maioria de treineiros que não puderam fazer a matrícula ou por candidatos que também foram aprovados em outros cursos em escolas perto de suas residências. "Hoje a Unesp tem 23 unidades e no meio do ano houve vestibulares para outras escolas, como USP e federais, o que pode ter atraído os aprovados", disse Cagnon.

Para saber ao certo o que ocorreu, a direção da faculdade terá de analisar os perfis socioeconômicos dos inscritos - o que levará tempo. Cagnon admite que talvez será necessário adiar aulas para esperar o preenchimento das vagas. Mas, segundo ele, a qualidade do ensino não é prejudicada porque todos os candidatos aprovados na segunda fase do vestibular têm o mesmo nível.

Mais conteúdo sobre:
Unesp vestibular Vida Versão impressa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.