Enem pode substituir 1ª fase do Enade

Exame Nacional do Ensino Médio faria parte da avaliação dos estudantes do ensino superior, propõe MEC

Paulo Saldaña, Especial para o Estadão.edu

12 de maio de 2010 | 10h54

Após se tornar obrigatório aos interessados no financiamento estudantil do governo federal, o Exame Nacional do Ensino Médio deve fazer parte da avaliação dos estudantes de ensino superior. O Enem substituiria a primeira fase do Exame Nacional do Ensino Superior (Enade), feita pelos ingressantes nos cursos.

 

A proposta, aventada por integrantes do Ministério da Educação, foi reafirmada na segunda-feira, 10, pela secretária de ensino superior, Maria Paula Dallari. “Existe a ideia de o Enem substituir o Enade dos ingressantes”, disse Dallari, durante reunião na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

 

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pelos dois exames, informou que ainda não há definição sobre o uso do Enem de 2010 como avaliação para os ingressantes. O Inep não indicou representante para entrevista, alegando problemas de agenda.

 

O presidente do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado (Semesp), Hermes Ferreira Figueiredo, considera a ideia positiva. “Há algumas vantagens para aferição da qualidade, além de aliviar o aluno de fazer mais uma prova.”

 

Figueiredo afirma que a avaliação no modelo atual, em que o ingressante faz a prova depois de quase um ano de aulas, não corresponde à realidade. “Depois desse tempo ele já tem um diferencial.” O Semesp defende a universalização do Enade, que atualmente é feito apenas por parte dos alunos.

 

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) preferiu não comentar a possível mudança.

 

O Enade ocorrerá no dia 21 de novembro. Farão o exame estudantes de 14 cursos de bacharelado e de 5 de tecnologia.

Tudo o que sabemos sobre:
EnemEnadeMECSisuvestibular

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.