Enem: Alunos encontram portões fechados e lamentam atraso para provas

'Dei mole, vacilei', disse uma estudante carioca que chegou às 13h13 à Uerj

Estadão.edu,

03 Novembro 2012 | 14h44

Os portões dos locais de provas do Enem foram fechados às 13h, horário de Brasília. Este ano, como em edições anteriores do exame, muitos estudantes chegaram atrasados e foram impedidos de realizar as provas. Às 13h35, o Ministério da Educação informou em seu Twitter oficial que o Enem transcorre sem nenhum incidente.

 

Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a estudante Amanda Silva de Freitas, de 18 anos, deseperou-se ao perceber que não conseguiria fazer a prova e subiu no portão da universidade. Ela saltou do carro do pai no meio de um engarrafamento para tentar ganhar tempo, mas só conseguiu chegar à Uerj às 13h13. "A errada fui eu. Saí de casa às 12h45 porque moro bem perto, mas não esperava tanto trânsito. Dei mole, vacilei. É uma sensação de desespero, um ano jogado fora. Minha sorte é que tem o vestibular separado da Uerj para Odontologia em dezembro. Mas perdi a chance da UFRJ e da UNICAMP", lamentou a estudante. A UFRJ seleciona estudantes por meio do Sisu, enquanto a Unicamp utiliza o Enem para compor a nota do vestibulando na 1ª fase do processo seletivo.

 

Os alunos Márcio Renato, de 21 anos, e Joice Cristina, de 17, são adventistas e só iriam realizar o exame, em regime especial, após as 19h, em Curitiba. Porém, os dois chegaram dois minutos após o fechamento dos portões do Colégio Estadual do Paraná e não puderam fazer a prova. O motivo do atraso foi um engano na hora de tomar o ônibus a caminho do local de provas. Joice, que tentaria uma vaga no curso de Recursos Humanos, ficou desolada. Para a estudante, o fato de que ela só iria fazer o exame no final do dia deveria ter sido levado em conta. Já Márcio Renato, que já cursa Sistema de Informações numa faculdade particular, tentaria obter financiamento dos estudos pelo Fies. "“Não senti muito, pois estou cursando. A gente fica chateado, mas saímos cedo de casa e, infelizmente trocamos de ônibus e agora é se preparar para o próximo ano”, disse.

 

 

No Colégio Santa Cecília, em Fortaleza (Ceará), pelo menos 15 estudantes foram barrados. Em Belo Horizonte (Minas Gerais), pelo menos sete estudantes deixaram de fazer o Enem porque confundiram o local do exame. Um dos maiores locais de aplicação das provas, a Faculdade Pitágoras, possui duas unidades no Bairro Cidade Jardim - uma fica na Avenida Prudente de Morais e outra na Avenida Raja Gabáglia. Gabriel João Ribeiro, de 17, foi um dos que não conseguiram chegar a tempo de pegar os portões abertos. "Vi que era no Pitágoras da Cidade Jardim e não conferi direito o comprovante de inscrição”, disse o jovem, que pretende cursar uma faculdade de Engenharia de Produção. Ele acredita que está preparado para o exame e considera que perdeu um ano por causa do deslize. “Meu pai vai me matar. Agora, no ano que vem, vou comer o comprovante para não deixar escapar nenhum detalhe”, disse.

 

Eustáquio Cristian, de 21, que tentaria uma vaga para uma faculdade de Gestão Pública, também foi impedido de fazer a prova na capital mineira. “Saí de casa às 10h, mas o ônibus bateu em um motoqueiro. Ainda peguei um táxi para tentar chegar na hora, mas o trânsito estava muito ruim. Perdi o dia de trabalho e ainda gastei R$ 50 e não pude fazer a prova.”

Mais conteúdo sobre:
Enem Enem 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.