Ernesto Rodrigues/AE
Ernesto Rodrigues/AE

Enem ajuda paulistas a estudar em outros Estados

A distribuição de vagas em universidades públicas com base na nota da prova começa no sábado, movimentando as estradas de SP

Mariana Lenharo, Jornal da Tarde

03 Janeiro 2012 | 12h17

O paulistano Henrique Lacreta Alves, de 17 anos, nunca esteve em Belo Horizonte, mas quer trocar o conforto da casa dos pais pelo ar de novidade que a capital mineira lhe inspira. Nesta edição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que usa a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e começa a aceitar no sábado inscrições para vagas em instituições públicas do País todo, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) é uma de suas principais apostas. E há mais gente nessa estrada.

 

Quatro a cada 10 paulistas que se tornaram universitários no primeiro semestre de 2011 por meio do Sisu se matricularam em federais de outros Estados. Vários fatores explicam a diáspora dos estudantes. Existem os que levam em conta notas de corte mais baixas em outros Estados e aqueles que buscam centros de excelência em áreas específicas. Outros admitem que a liberdade das repúblicas estudantis também atrai.

 

Mas todos os forasteiros concordam num ponto: o Enem afrouxou as fronteiras, já que as especificidades regionais dos vestibulares deixaram de existir com a adoção de uma prova única. Só no primeiro semestre de 2011, 4.327 estudantes de São Paulo se matricularam em federais de outros Estados por meio do Sisu, segundo dados do Ministério da Educação. O número corresponde a 39% do total de paulistas selecionados e representa um aumento em relação ao primeiro semestre de 2010, quando 2.531 novos universitários deixaram São Paulo via Enem. O total de vagas ofertadas também cresceu de 2010 para 2011, no País e no Estado.

 

Em números absolutos, São Paulo foi o Estado que mais exportou alunos no País: a quantidade supera a soma dos estudantes enviados por todas as outras unidades da federação que têm esse tipo de mobilidade (Goiás, Santa Catarina, Espírito Santo, Bahia, Pará, Alagoas e Minas Gerais). Nesta edição, mesmo com o maior número de inscritos no Enem, São Paulo tem poucas instituições no Sisu - Universidades Federais do ABC (UFABC), de São Paulo (Unifesp) e de São Carlos (UFSCar), além do Instituto Federal de São Paulo (IFSP). São 9.064 vagas, das 108.552 do País.

 

No caso de Henrique, a opção pela UFMG veio acompanhada de muita pesquisa. Ele diz que a instituição tem um dos cursos mais bem cotados de Ciências da Computação no País. Aluno do Colégio São Luís, conta que a Universidade de São Paulo (USP) é a última em sua lista de preferências. E já preparou seus pais para a mudança. “Eles demonstraram preocupação. Mas falei que era o que eu queria e agora me apoiam”, afirma. “Além disso, morar em república deve ser uma experiência muito boa.”

 

Vitor Hiroshi Pereira, de 17 anos, vive longe dos pais desde 2011. Ex-aluno do Colégio Marista Arquidiocesano, ingressou em Cinema de Animação na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e agora divide uma casa em sólo gaúcho com seis amigos, todos paulistas. “No primeiro dia fiquei nervoso. Mas, como tem muita gente de fora, a gente faz amizade fácil. Conheci uma galera e a gente montou a república.”

 

Foi a especificidade da carreira que fez Vitor enfrentar 1.372 quilômetros até Pelotas. “Só tem dois cursos que trabalham com animação: na UFMG e na UFPel. Escolhi a UFPel pelo caráter mais prático”, explica. Seu pai, o professor Marcelo Pereira, de 43 anos, deu apoio. “Eu e minha mulher estudamos fora de São Paulo. A experiência longe da família é engrandecedora”, afirma. Difícil, diz o rapaz, é ter de cozinhar e lavar a própria roupa.

 

Já para Mariana Aimée Xavier da Silva, de 18 anos, uma seleção menos rigorosa em relação às paulistas foi o chamariz para as terras gaúchas. Ela estuda Medicina Veterinária na UFPel. E, antes de ingressar, havia tentado vagas na USP e na Unesp. “Fiz o Enem para ver se conseguia alguma coisa fora de São Paulo”, conta. Com o apoio da mãe, deixou a capital e hoje se diz acostumada ao clima da região. “No início, tinha a impressão de que estava em outro país. Na cidade tem uns casarões antigos e o pessoal anda muito a cavalo”, diverte-se.

 

MOBILIDADE

 

Dos paulistas que ingressaram em federais de outros Estados em 2011, a maioria (75%, ou 3.245 alunos) teve como destino as regiões Sul e Sudeste

 

PRINCIPAIS DESTINOS

 

Minas Gerais: 1.080

Paraná: 726

Rio Grande do Sul: 708

Rio de Janeiro: 653

 

CALENDÁRIO DO SISU

 

7/01 a 12/01

Inscrições

 

15/01

Resultado da 1.ª chamada

 

19/01 a 20/01

Matrícula da 1.ª chamada

 

26/01

Sai o resultado da 2.ª chamada

 

26/01 a 01/2

Prazo de adesão à lista de espera

 

30/01 a 31/01

Matrícula da 2.ª chamada

Mais conteúdo sobre:
Enem Enem 2011 Sisu Ensino superior

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.