Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

Enem 2020: Candidatos barrados no primeiro dia de prova podem escolher se irão neste domingo

‘É uma opção do participante. O Inep vai garantir a reaplicação dos dois dias’, diz assessoria; a solicitação para reaplicação deve ser feita a partir do dia 25

Ilana Cardial, O Estado de S.Paulo

23 de janeiro de 2021 | 12h00

Aplicantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) impedidos de fazer o primeiro dia de prova por superlotação das salas podem decidir se irão ao segundo dia de aplicação, neste domingo, 24. Todos os que se sentiram prejudicados podem fazer o pedido de reaplicação pela página do participante entre os dias 25 e 29 de janeiro. O candidato deve relatar o ocorrido e não precisa apresentar documento de comprovação. As infomações são da assessoria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

As provas serão reaplicadas nos dias 23 e 24 de fevereiro para os pedidos deferidos. Data na qual também farão o exame: candidatos que enfrentaram outros problemas de logística, como falta de energia elétrica; que manifestaram estar com covid-19; Pessoas Privadas de Liberdade (PPL); e os inscritos do estado Amazonas, onde o governo suspendeu o exame por conta da crise sanitária. 

De acordo com a assessoria do Inep, o inscrito impedido de realizar a 1ª parte do exame tem a opção de decidir se vai ou não à 2ª. “Ele pode optar por fazer a prova neste domingo, 24, ou fazer reaplicação dos dois dias (em fevereiro)”, afirma assessor do Inep, “O importante é o participante fazer o pedido da reaplicação. Ele não tem a obrigatoriedade de comprovar. Com o relato, o Inep consegue averiguar internamente, conferindo as atas de sala e identificando as situações”.

Como mostrado pelo Estadão, estudantes foram barrados na entrada dos locais de prova no último domingo, 17, e orientados a voltar para casa. O Inep divulgou que os casos ocorreram em 11 locais de prova nas cidades de Florianópolis, Curitiba, Londrina (PR), Pelotas (RS), Canoas (RS) e Caxias do Sul (RS). Ainda assim, há relatos de estudantes que sofreram com a mesma situação em outras cidades, como em Porto Alegre e Santa Cruz do Sul (RS).

Na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), um dos locais de aplicação do exame na capital catarinense, a distribuição dos candidatos foi feita usando 80% da capacidade das salas de aula. A ordem, que ultrapassava os 50% de ocupação prometidos, partiu do Inep, como revelou o Estadão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.