Em SP, Provão teve atrasos e protestos

Muitos alunos boicotaram o Provão na Escola da Polícia Militar, na Av. Cruzeiro do Sul, zona norte de São Paulo, um dos locais do exame na capital paulista. Às 14h30 começaram a deixar o prédio os primeiros estudantes, que haviam entregue a prova em branco em protesto. "Uma prova não avalia um aluno, muito menos uma instituição de ensino", justificou a estudante de pedagogia da PUC-SP Adriana Antunes Yamamoto. Os portões da escola foram fechados pontualmente às 13 horas. Um grupo de cerca de 15 alunos chegou a discutir com o fiscal por não ter conseguido entrar.Antes mesmo da abertura dos portões da Fatec, que ocorreu à 14h30, cerca de 20 alunos aguardavam para deixar o prédio. A maioria deles havia boicotado a prova. Às 15 horas muitos alunos deixam o local da prova.

Agencia Estado,

08 de junho de 2003 | 15h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.