Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em nova troca, ministro da Educação demite presidente da Capes

Milton Ribeiro não informa os motivos e diz apenas que em breve divulgará substituto; órgão é responsável por avaliação de cursos de pós-graduação e de oferta de bolsas para pesquisadores

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2021 | 17h19

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou nesta segunda-feira, 12, que vai exonerar Benedito Guimarães Aguiar Neto, presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), agência de fomento à pesquisa ligada à pasta. Ribeiro não explicou os motivos da saída e disse apenas que em breve divulgará seu substituto. Nas últimas semanas, o ministério já trocou o comando da Secretaria da Educação Básica e do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

"Informo que será publicada hoje a exoneração do Prof. Benedito Guimarães, presidente da CAPES. Agradeço o trabalho realizado nesse período. Informo que o próximo presidente da Capes será um profissional de perfil técnico e acadêmico, cujo nome será divulgado oportunamente", afirmou Ribeiro, em sua conta no Twitter.

A Capes tem como missão avaliar os cursos de pós-graduação no Brasil e divulgar informações científicas. A exoneração de Aguiar Neto, ex-reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, será publicada no Diário Oficial da União nesta segunda-feira. Ribeiro também é egresso da universidade paulista, onde foi vice-reitor. 

Guimarães estava no cargo desde janeiro de 2020, quando foi nomeado pelo então ministro, Abraham Weintraub. Na época, a escolha do professor do Mackenzie para o cargo contemplou a base evangélica, que se sentia preterida em relação ao grupo ligado ao escritor Olavo de Carvalho, que teve bastante influência na pasta durante a gestão Weintraub. Enquanto reitor, Aguiar Neto apoiou a criação de um núcleo de ciência, fé e sociedade no Mackenzie, que tem como um de seus objetivos fazer  pesquisas sobre a chamada teoria do Design Inteligente, uma nova vertente do criacionismo.

A troca na agência do MEC ocorre no momento em que entidades, como a Associação Brasileira de Ciências e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) pedem a recomposição do conselho superior da Capes. Segundo carta das associações ao órgão federal, a última reunião do conselho foi em 28 de novembro, quando foi anunciada sua recomposição. 

No fim de semana, o ministério confirmou Marco Rabelo, professor da Universidade de Brasília (UnB) à frente da Secretaria de Educação Básica. A antecessora no cargo, Izabel Lima Pessoa era um dos poucos nomes no MEC atual que tinha boas relações com especialistas da área e não tinha ligação com a ala ideológica do governo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.