Em greve, professores ainda não pediram audiência com governo

Uma nova assembleia está marcada para sexta-feira, dia 19, também no vão livre do Masp

Paulo Saldaña, Especial para o Estadão.edu

15 Março 2010 | 19h10

Representantes dos professores estaduais de São Paulo ainda não pediram, desde que a categoria entrou em greve, no dia 8, uma audiência com a Secretaria Estadual de Educação para negociar as reivindicações. De acordo com informações apuradas junto à pasta, o último encontro entre representantes dos professores e a secretaria foi no dia 26 de janeiro - data na qual sequer o assunto da paralisação teria sido tratado.

 

 

A categoria já realizou duas manifestações - chegou a fechar a avenida Paulista na última sexta-feira (12). Uma nova assembleia está marcada para sexta-feira, dia 19, também no vão livre do Masp.

 

 

Veja mais:

link Sindicato deve ser acionado para pagar indenização

blog Assista à entrevista com a presidente da Apeoesp

 

 

O sindicato reclama que o governo se recusa a negociar. A presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), Maria Izabel Azevedo Noronha, afirmou que pedido para um encontro já está sendo articulado "Vamos, sim, pedir a audiência. Mas acredito que isso deveria vir da parte do governo". Ainda segundo ela, a secrtaria já teria tido conchecimento da pauta do reajuste salarial e da possibilidade de greve em reunião ocorrida em fevereiro.

 

 

A principal reivindicação dos professores é o reajuste salarial de 34,3%. Apesar da informação de que nenhuma reunião tenha sido solicitada, o governo não está disposto a atender a reivindicação.

 

 

Sem reuniões entre as partes, o governo mantém a posição de que greve é política, com adesão de menos de 1% da categoria. A orientação é para que os pais continuem a levar os filhos para a aula.

 

 

A Apeoesp garante que cerca de 80% dos professores da rede estejam parados em todo o Estado.

Mais conteúdo sobre:
pontoedugreveapeoesp

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.