Em ato, alunos da USP pedem a adoção de cotas raciais

Estudantes precisam que 20% dos conselheiros subscrevam abaixo-assinado

Cristiane Nascimento, especial para Estadão.edu,

20 Junho 2012 | 13h13

No início da tarde desta quarta-feira, 20, um grupo de estudantes da USP e de representantes de movimentos sociais se reuniu em frente à reitoria da insituição para pedir a implementação das cotas raciais como recurso de acesso à universidade. O ato antecedeu uma reunião do Conselho Universitário (CO), agendada para as 14 horas.

Segundo Leandro Salvático, mestrando de Sustentabilidade e representante do Núcleo de Consciência Negra da USP, no dia 6 de junho, a Frente Pró-Cotas Raciais de São Paulo protocolou um ofício, solicitando a inclusão do tema em pauta. O pedido, no entanto, foi ignorado pela reitoria. Com o ato, os estudantes pretendem sensibilizar os conselheiros para que assinem um abaixo-assinado pela democratização do acesso à USP. De acordo com regimento da instituição, uma matéria pode ser inserida em pauta caso pelo menos 20% do conselho a subscreva.

Contatada pelo Estadão.edu, a assessoria da universidade limitou-se a dizer que o assunto já foi discutido pelo CO, em 2010, em uma sessão temática. A sessão deve se repetir, apesar de não haver ainda uma previsão para que o encontro aconteça.

"Nessa reunião de 2010 nada foi decidido", diz Leandro. Segundo o estudante, o tema foi apenas debatido por algumas pessoas presentes. "Queremos que a questão das cotas raciais seja discutida em uma sessão ordinária, para que seja votada e enfim implementada."

 

* atualizado às 18h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.