Em assembleia, alunos da USP decidem manter paralisação

Expectativa dos grevistas é aumentar participação dos estudantes nos protestos; grupo também comemorou a libertação de ativista

Victor Vieira, O Estado de S. Paulo

07 Agosto 2014 | 22h50

SÃO PAULO - Em assembleia na noite desta quinta-feira, 7, na Faculdade de História, os alunos da Universidade de São Paulo (USP) também aprovaram a continuidade da paralisação, em apoio ao movimento de professores e funcionários pelo reajuste.

Com o fim das férias, a expectativa dos grevistas é aumentar a participação dos estudantes nos protestos.

O grupo também comemorou a libertação de Fábio Hideki Harano, aluno e servidor da universidade, preso em 23 de junho em um ato contra a Copa. Foi a primeira assembleia geral dos estudantes da USP no segundo semestre.

Em algumas unidades, como a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas(FFLCH), praticamente todas as classes foram suspensas e são feitas atividades, de professores e alunos, para debater a greve. Já em outras escolas, como a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (Fea), a rotina acadêmica é normal.

Mais conteúdo sobre:
greveUSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.