Em 2006, fotomontagem desencadeou agressão a universitária

Na cidade de Marília, estudante de Direito foi perseguida por outros alunos e também precisou de ajuda da PM

estadao.com.br,

30 Outubro 2009 | 14h35

O quase linchamento da universitária da Uniban, nesta semana, não é um caso sem precedentes. Em 2006, a divulgação, na internet, de fotomontagens criadas para mostrar uma estudante da Fundação Eurípedes Soares da Rocha (Univem) de Marília, no interior paulista, na cama com dois homens, forçou a jovem Francine Simone Favoretto de Resende, então uma terceiranista de Direito de 20 anos, a se refugiar numa sala de aula para escapar da fúria de outros alunos. Ela só pôde sair escoltada pela Polícia Militar. Assim como na Uniban, o tumulto só foi desfeito depois de a PM usar gás de pimenta.

 

Veja também:

link'Perdi a dignidade', diz estudante humilhada em universidade

link Aluna é vítima de assédio em massa

link 'Linchamento' da estudante reflete problemas sociais

link 'Fiquei muito assustada, chorei, entrei em desespero'

 

Na época, depois do ocorrido, a jovem passou dias sem sair de casa, temendo ser ofendida na rua, e tendo de tomar tranquilizantes para dormir. Dias depois, um estudante da mesma universidade confessou à polícia ter distribuído as imagens, e confirmou que se tratavam de fotomontagens.

 

Em entrevista concedida ao Jornal da Tarde duas semanas após o ocorrido, Francine atribuiu a repercussão violenta provocada pelas fotos ao site de relacionamentos Orkut. "Os alunos da escola tiveram acesso às fotos pelo site, que deveria ter um meio de bloquear fotos e imagens ofensivas. Burlaram minha página e não consegui entrar em contato com o administrador do site para reclamar ou evitar que essas fotos fossem espalhadas", declarou então.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.