Elza Fiúza/Agência Brasil
Elza Fiúza/Agência Brasil

Elite da escola pública supera rede privada no Enem

Candidatos de escolas públicas e privadas tiveram piora de rendimento em redação

Lisandra Paraguassu, O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2013 | 20h57

Os melhores alunos das escolas públicas do País tiveram resultados superiores aos da rede privada em três das cinco áreas

avaliadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012. A comparação, divulgada pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira, 25, inclui alunos das escolas federais, que tiveram as maiores notas entre todos os que fizeram a prova. A rede estadual, que concentra mais de 50% dos concluintes que participaram da avaliação, ficou com os piores

resultados.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, explica que a comparação foi feita usando os 215.530 melhores alunos da escola pública, mesmo número de estudantes das escolas privadas que fizeram a prova. "Nossa preocupação são as cotas. Este ano, 25% das vagas do SiSU (Sistema de Seleção Unificada das universidades federais) vão para alunos de

escolas públicas. Esses 25% das escolas públicas são melhores que as escolas privadas", afirmou.

Os 215.530 representam 31,5% dos estudantes que tiveram suas notas do Enem divulgadas - para calcular as médias o MEC só considera estudantes que estejam concluindo o curso e oriundos de escolas que tenham pelo menos 10 alunos fazendo a prova. Além disso, o grupo precisa representar pelo menos 50% dos concluintes daquela instituição.

Desempenho. Os melhores estudantes das escolas públicas tivera maiores notas em Linguagens e Códigos - Português e língua estrangeira, com 593,74 pontos, Ciências da Natureza (576,76), e Redação (616,6). Na comparação entre as redes, as escolas federais tiveram os melhores resultados em todas as áreas, chegando a 625,24 em matemática e 613,07 em redação.

Os piores resultados são da rede estadual, que concentra a maioria dos concluintes. Ainda assim, as médias subiram em três das cinco áreas, na comparação com o ano passado. Caíram Linguagens e Códigos, de 527 pontos para 513, e Redação, de 507 para 491,41. 

A rede federal teve queda das notas em quatro áreas: Linguagens, Matemática, Redação e Ciências da Natureza. Nas escolas particulares as médias foram inferiores a 2011 também em Linguagens, Redação e Matemática, o mesmo que nas redes municipais. 

O Enem por escola será divulgado nesta terça-feira, 26, pelo MEC. As notas levarão em conta as médias apenas dos estudantes que estavam terminando o ensino médio em 2012 e só serão consideradas as escolas com um número representativo de alunos.

Apenas 11.239 escolas terão suas notas divulgadas, de um total de 25.744 instituições com 3º ano do

ensino médio existentes no País.  "Temos interesse em usar a média do Enem como avaliação do ensino médio no futuro", afirmou o ministro.

Por isso, o ministério tem feito adaptações no cálculo das notas para deixar os resultados mais fiéis à realidade. Hoje a única avaliação do ensino médio usada pelo MEC é a Prova Brasil, que tem uma amostra muito inferior a dos alunos que fazem o Enem.

Mais conteúdo sobre:
enem educação prova ensino médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.