<!-- eestatísticas -->São Paulo é o Estado campeão da exclusão escolar

São Paulo é campeão do Mapa de Exclusão Educacional, que identificou crianças entre 7 e 14 anos fora da escola em cada Estado, segundo dados do Censo 2000. O mapa, divulgado nesta quarta-feira, mostra que São Paulo tinha 168.730 crianças que não freqüentavam o colégio, equivalentes a 11,28% da população brasileira de 7 a 14 anos. Este índice supera o das regiões Sul (8,82%) e Centro Oeste (4,46%).O Brasil tem, segundo o mapa, 1.495.643 crianças de 7 a 14 anos fora da escola (5,5% da população em idade escolar). A Bahia é vice-campeã, com 159.580 meninos e meninas longe da escola, seguida por Minas Gerais, 116.050. Os três Estados mais Pernambuco, Maranhão e Paraná somam 51% do total de crianças fora da escola no País.As principais causas da exclusão, segundo o estudo, são o trabalho infantil, a pobreza, a distância entre a escola e a residência, a distorção idade-série e até o tráfico de drogas.Crítica a São PauloO ministro da Educação, Cristovam Buarque, criticou a política educacional do governo paulista, mesmo sabendo que o Estado é o mais populoso e tem mais de 5 milhões de crianças em salas de aula. ?Não é possível um Estado rico e industrializado como São Paulo ter o maior número de crianças fora da escola no País?, disse.Ele sustenta que São Paulo supera muitos países em renda per capita e, portanto, deveria dar o exemplo. Dos 645 municípios paulistas, apenas em 27 as crianças em idade escolar estão todas matriculadas. No Brasil, 123 municípios têm todas as crianças estudando.Nome e endereçoO governo agora quer saber o nome, filiação e endereço de cada uma das 1.495.643 crianças brasileiras que não estão estudando. Por isso, o ministro lançou o programa Escola de Todos para cadastrar estes menores.Em Orobó (PE), onde se realizou o projeto-piloto, já há uma lista com 120 nomes ? a maioria trocou a escola pelo trabalho. Uma das ações para reverter o quadro será a distribuição do Bolsa-Família.O ministro defende para a educação uma lei semelhante a de responsabilidade fiscal. ?Hoje um prefeito que não paga dívida vai preso, mas não sofre qualquer sanção se deixar crianças fora da escola?, justifica o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.