<!-- eestatísticas -->Medicina é o curso que ensina melhor no Sudeste

As tradicionais áreas de Medicina, Direito e Engenharia Civil têm o que há de melhor e de pior em cursos de ensino superior no Sudeste. De acordo com os resultados do Provão 2003, que estão sendo divulgados nesta segunda-feira pelo Ministério da Educação (MEC), 42% dos cursos de Medicina da região tiveram notas A e B.É a área em que o desempenho dos alunos foi melhor. Em Engenharia Civil e Direito, 47,9% e 43% dos cursos, respectivamente, receberam notas D e E.Esta deve ser a última vez que o MEC divulga os resultados do Provão por conceitos que vão de A a E. O novo sistema cria o Índice de Desenvolvimento do Ensino Superior (Ides), que resultará da combinação de ensino, aprendizagem, capacidade institucional e responsabilidade social. Os cursos serão classificados em "bem avaliados", "intermediários" e "não satisfatórios".SaltoA área de Medicina no Sudeste deu um salto de um ano para outro. É a campeã das notas A e B em 2003 - inclusive se comparada a todo o País -, mas em 2002 ficava apenas com a oitava posição. Os melhores cursos estavam em áreas como Agronomia e Farmácia."Os cursos de Medicina são muito concorridos e o nível dos estudantes que entram é sempre alto", diz o diretor da Faculdade de Medicina da Universidade da São Paulo (USP), Giovanni Guido Cerri.DireitoO mau resultado do cursos de Direito não surpreendeu a Ordem dos Advogados do Brasil, sucursal São Paulo (OAB-SP). "Nos últimos três anos, de uma lista de 85 cursos, opinamos em favor da abertura de três. Mas o MEC liberou mais de 50", diz o presidente da Comissão de Ensino Jurídico da Ordem, Rui Celso Reali Fragoso.A falta de qualidade dos cursos aparece no exame da Ordem: de todos os formados, 75% são reprovados. Fragoso avalia que dos 220 cursos de Direito do Estado de São Paulo, entre 15 e 20 oferecem cursos de qualidade.NorteAs tabelas do Provão mostram que o Norte do País continua com os piores resultados. Das 26 áreas avaliadas, a metade não tem um só curso com notas A e B. Entre elas estão Medicina, Administração, Arquitetura, Odontologia e Engenharia Civil.No Nordeste, a situação melhorou um pouco. Dois dos 13 cursos de Medicina da região obtiveram nota máxima no Provão. Em 2002, nenhum havia conseguido essa marca.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2003 | 12h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.