<!-- eestatísticas -->Mais de 50% dos aprovados na FGV são de 14 escolas

Mais de 50% dos aprovados no vestibular da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (Eaesp/FGV) vêm de 14 escolas do Estado de São Paulo. A instituição elaborou uma lista das campeãs paulistas no seu exame, nos últimos quatro anos, constatando que duas são do interior e o restante, da capital.De outras partes do País vêm 20% dos estudantes da Eaesp/FGV. A Eaesp/FGV tem cerca de 1.700 alunos em seus cursos de Administração de Empresas e Administração Pública e abre, a cada semestre, 200 vagas.Todas as escolas campeãs são particulares e têm mensalidades, em média, de R$ 1 mil. Não foram divulgadas as colocações de cada escola no vestibular. "Muita gente me perguntava qual colégio aprovava mais na FGV e eu não achava justo apenas os amigos do diretor terem essa informação", diz o diretor da Eaesp/FGV, Fernando de Souza Meirelles.Lista divulgadaSegundo ele, a lista deve ser divulgada, a partir de agora, de dois em dois anos e pode incluir a escola pública mais presente no vestibular."A escola não coloca ninguém lá dentro, é preciso muito esforço pessoal", diz Vitor Feijó Chuairi, de 20 anos, que cursa o 3.º ano de Administração de Empresas na FGV e estudou seis anos na Escola Pueri Domus.Estudos realizados pelo Ministério da Educação mostram que alunos de família com renda alta tiveram desempenho mais de 70% superior aos carentes no último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A diferença na nota da prova entre os jovens que têm computador, internet e TV por assinatura chega a 30 pontos.Capital cultural"É claro que o estudante chega com um capital cultural maior aqui, mas nosso investimento em professores e em conteúdo tem uma influência significativa", diz o diretor do Colégio Bandeirantes, Mauro Aguiar.Guilherme Finkelfarb Lichand, que estudou na escola desde a 5.ª série e foi primeiro colocado no vestibular da FGV, credita todos seus méritos ao Bandeirantes. "Experimentei um cursinho por duas semanas e percebi que não valia a pena", diz.Ele menciona o curso que o colégio oferece, direcionado apenas ao exame da FGV, e as aulas de inglês, uma das disciplinas de maior exigência na prova, como incentivos para sua boa preparação.

Agencia Estado,

09 de agosto de 2004 | 11h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.