<!-- eestatísticas -->Ensino fundamental tem menos matrículas; creche tem mais

O número de matrículas no ensino fundamental, que conta com 34 milhões de alunos, decresceu 1,2% em 2004, seguindo uma tendência que se vem verificando desde 1999. Em compensação, as matrículas na educação infantil cresceram 7,9%, de 6,4 milhões no ano passado para 6,9 milhões neste ano.Na creche, hoje com 1,3 milhão de alunos, houve crescimento de 8,9% e na pré-escola, com 5,6 milhões, o aumento foi de 7,7%.Esses dados, do Censo Escolar preliminar de 2004, foram divulgados no início desta tarde pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), do Ministério da Educação, Eliezer Pacheco.55 milhões de estudantesEm todos os níveis da educação básica existem hoje, no País, 55 milhões de estudantes, dos quais 88% freqüentam escolas públicas.Nas creches - regularmente o nível de ensino com pior atendimento -, houve aumento em todo o País, sendo os maiores índices no Centro-Oeste e no Sudeste. Na pré-escola, Norte, Nordeste e Centro-Oeste concentram o crescimento, acima de 10%. No Sul e Sudeste o aumento foi quase inexistente."O crescimento houve mesmo nas regiões onde tradicionalmente o atendimento era mais precário", explicou Pacheco.O atendimento, no entanto, cresceu mais nas escolas privadas - 12,4%. As municipais também aumentaram as matrículas em 7,3%, enquanto os Estados diminuíram em 8% o número de alunos. Nas creches, os governos estaduais também reduziram o atendimento e o crescimento ficou concentrado nas escolas municipais e privadas.Ensino técnico cresceNo ensino médio técnico o número de matrículas cresceu 14,5% e no ensino médio de jovens e adultos, 18%. Segundo o MEC, esse fato mostra uma tendência de crescimento da demanda por cursos que permitam acesso mais rápido ao mercado de trabalho.Enquanto o curso médio regular dura três anos, a educação média de jovens e adultos pode ser concluída em apenas um. O número de alunos nesta categoria, entretanto, é bem menor do que no ensino médio regular.No ensino fundamental, houve uma redução de 1,2%. "É uma tendência que vem se confirmando. A correção do fluxo, com menos repetência, e a redução da taxa de natalidade da população, além do fato que o ensino fundamental já estar universalizado desde 1998 (o porcentual de crianças na idade entre 7 e 14 anos atendidas na escola cresceu para 97,2%), leva a esse decréscimo."Dados e recursosOs números preliminares do Censo Escolar deste ano serão publicados na quinta-feira no Diário Oficial e, a partir de então, as secretarias de educação estaduais, municipais e do Distrito Federal terão 30 dias de prazo para apresentar recursos para pedir a retificação de informações publicadas.É que os dados do Censo subsidiam uma série de políticas educacionais do setor público e a distribuição de recursos para implementação de projetos.O MEC lembra que programas como o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), Merenda Escolar, Livro Didático eDinheiro Direto na Escola baseiam-se nos dados do Censo Escolar.   mais estatísticas de educaçãoNota do Editor: Este texto foi alterado em 07/10/04 para inclusão de mais dados do Censo Escolar preliminar de 2004.

Agencia Estado,

06 de outubro de 2004 | 14h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.