<!-- eestatísticas -->Cristovam diz que 3 milhões foram alfabetizados em 2003

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, disse na sexta-feira que a meta de alfabetizar 3 milhões de brasileiros este ano foi alcançada e reafirmou que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai zerar o analfabetismo no País até o fim do mandato. Mas admitiu que não chegará à marca dos 20 milhões de adultos alfabetizados inicialmente estimada por ele.Cristovam reconheceu que a estimativa estava inflada. ?Se alcançarmos 15 milhões de pessoas já teremos atingido a nossa meta?, afirmou o ministro. Mesmo assim, disse, vão sobrar aqueles que não tem como ser alfabetizados porque moram longe demais ou porque não querem estudar. ?Até na Suécia tem um resíduo?, afirmou o ministro, no encerramento do Seminário Internacional sobre Alfabetização.Para ele, o presidente Lula já tem um presente de Natal para a população: 3 milhões a menos de analfabetos.O representante da Unesco no Brasil, Jorge Werthein, que patrocinou o seminário, disse que o Brasil não atingirá a meta sem o envolvimento de toda a sociedade. Ele elogiou o governo Lula por ter assumido o compromisso com a alfabetização, mas disse que governadores e prefeitos precisam se convencer de que são co-responsáveis. FundoNo fim do seminário, Cristovam anunciou que na segunda-feira entregará à Casa Civil o plano para socorrer financeiramente as universidades federais e as diretrizes para a discussão, até junho, da reforma universitária.Com o texto, o ministro apresentará também o projeto do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), em substituição ao atual Fundef, que abrange apenas o ensino fundamental. A proposta prevê a inclusão da pré-escola e também do ensino médio no cálculo do valor per capita que cada Estado deve investir. Quando não é alcançado o valor mínimo, a União faz a complementação.Ensino MédioO ministro disse que não foi possível este ano tornar obrigatório o ensino médio, mas espera conseguir mudar esse quadro em 2004. A alteração será gradual.No primeiro ano, somente a 1.ª série do ensino médio será obrigatória. Nos anos seguintes, serão incorporadas as demais. Mas já em 2005 o ministro deseja oferecer aos alunos do ensino médio o quarto ano optativo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.